Web Summit online, com mais 100 mil participantes, terminou hoje

Publicado em 05/12/2020 17:45 em Web Summit

Nota: esta notícia, feita sexta-feira, por qualquer lapso não entrou no sítio na altura



A primeira Web Summit por Internet terminou hoje em Lisboa com 104 328 participantes, 1137 oradores, 2229 jornalistas, 1145 investidores, 2007 start ups e 169 parceiros, com o evento online a realizar-se no mês seguinte ao habitual (Novembro).

Com três dias (2 a 4 de Dezembro) em vez dos quatro habituais e com horários alterados, como é normal num evento internacional online, a Web Summit deste ano foi algo de estranho para quem se habituou a navegar no formigueiro de gente que habitualmente invade a zona do Parque das Nações onde se realiza desde 2016 e onde se deverá manter pelo menos quase até ao fim desta década.

Muitas coisas mudaram, outras mantiveram-se, como a competição Pitch para start-ups, que em 2020 foi vencida pela MedTech Halibela Global Networks, da Etiópia, pelo desenvolvimento de uma solução para digitalização dos processos de gestão dos hospitais, que vai permitir que os hospitais poupem dezenas de milhares de euros em papel e garantam maior eficiência dos cuidados de saúde, segundo a organização.

A empresa irlandesa Web Summit foi criada em 2009 e em 2011 realizou em Dublin o primeiro evento que leva o seu nome, com 1570 participantes.

Em 2016, a Web Summit passa para Lisboa, que lhe proporcionou condições logísticas para receber algumas dezenas de milhares de participantes e um generoso espaço de exposições.

Em 2018, a Web Summit, liderada pelo seu fundador Paddy Cosgrave assina com o governo português e a Câmara Municipal de Lisboa um contrato para se manter em Lisboa por mais 10 anos, mediante uma contrapartida de 110 milhões de euros e o compromisso de haver um aumento do espaço disponível para a sua realização, permitindo aumentar o número de participantes.

Em 2019 teve cerca de 112 mil participantes de mais de 170 países e, como habitualmente, teve entre os oradores responsáveis políticos, administradores de topo de empresas de todo o mundo, responsáveis da Comissão Europeia, um conjunto alargado de start-ups e membros de diversas organizações (não governamentais, associações de consumidores e outras).

No ano passado, destacou-se pela presença por videoconferência Edward Snowden, que denunciou as actividades de espionagem generalizada pela National Security Agency (NSA, agência de espionagem dos Estados Unidos) a pessoas e dirigentes políticos de topo, incluindo governantes de aliados ocidentais dos Estados Unidos, apresentando provas.

A Web Summit convida tradicionalmente os participantes a conviverem na noite de Lisboa e nos dias que a precedem realiza normalmente em Lisboa um conjunto de iniciativas.

A empresa irlandesa Web Summit lançou em 2014 o primeiro Collision, que se realizou em Las Vegas, com 1529 participantes, passando dois anos depois para Nova Orleães (Estados Unidos) e no ano passado para Toronto (Canadá).

Desde 2015 organiza em Hong Kong o evento Rise, que nesse ano reuniu 5438 participantes.

Fernando Valdez

Ainda sem comentários