Portugal representa um quinto facturação Sophos Iberia

Publicado em 15/11/2019 12:54 em Segurança Informática

Portugal representa cerca de um quinto da facturação da empresa de segurança informática Sophos na região Ibéria (Espanha, Portugal, Andorra e Gibraltar) disse ao Falar de Economia e Tecnologia Ricardo Maté, CEO da Sophos Iberia.

Maté indicou que cerca de 60% da facturação da Sophos em Portugal vem de pequenas empresas (até 99 utilizadores), cerca de 25% de medias empresas (100 a 999 utilizadores) e 15% de grandes empresas (mais de mil postos de trabalho informáticos).

Em declarações ao Falar de Economia e Tecnologia, Ricardo Maté e Alberto Rodas, Sales Engeneer Director da Sophos Iberia, indicaram que em Portugal a empresa está a crescer mais de 40%, tanto em número de clientes como em facturação.

Ricardo Maté adiantou que a Sophos tinha uma base instalada de mais de 2mil clientes no término do ano fiscal de 2019, concluído no fim de Março passado, e espera crescer para cerca de 3 mil no final do ano fiscal de 2020

Explicou que a nível internacional a Sophos inclui na categoria corporate as empresas com mais de 5 mil utilizadores mas na região Ibérica não se justifica essa distinção dada a reduzida dimensão desse segmento.

O CEO da Sophos Ibérica indicou que a companhia se cibersegurança britânica tem 28 trabalhadores em Madrid, dos quais cinco ou seis trabalham Portugal, sendo que uma dessas pessoas passa a maior parte do seu tempo em Portugal.

Ricardo Maté indicou que em Espanha cerca de 35% da facturação vem de pequenas empresas, peso idêntico ao que têm as firmas de média dimensão, enquanto as grandes empresas representam 30% das receitas locais.

destacou que o maior cliente da Sophos em Espanha tem mais de 70 mil licenças e o maior em Portugal tem mais ou menos 40 mil.

O director de engenharia na Sophos ibérica considerou que há uma aposta clara na cibersegurança em Portugal, há uma evolução positiva mas lenta e há muitas empresas que não apostam na prevenção e só contactam a empresa após os incidentes de segurança, o que não acontece só em Portugal, em Espanha há, por exemplo, incidentes frequentes em autarquias e deu o exemplo de uma câmara municipal de uma cidade espanhola que usava software gratuito para proteger o seu sistema informático.

Alberto Rodas destacou que algumas empresas grandes em Portugal pensavam que os sistemas de protecção antigos de que dispunham eram suficientes e só procuraram novas soluções após ataques, e muitas pequenas e médias empresas (PME) Têm soluções bastante frágeis, embora também haja PME com soluções de segurança fiáveis.

Assegurou que os clientes com soluções Sophos adequadas têm mais de 99% de garantias de segurança, mas observou que nenhuma marca pode dizer que as suas soluções são 100% fiáveis.

Rodas destacou que há um maior investimento em segurança informática na Alemanha e no Reino Unido, mas na maioria da Europa, o investimento nesta área é menor e, embora haja consciência da necessidade de investir nela, muitas vezes os orçamentos não acompanham essa intervenção.

Indicou que a Sophos disponibiliza ferramentas informáticas para dar formação em cibersegurança aos trabalhadores das empresas e que permitem aos responsáveis de TI testar a preparação dos trabalhadores nesta área e identificar necessidades de reforço da formação.

Ricardo Maté revelou que os sectores onde a Sophos está mais presente em Portugal são os serviços, a indústria, o retalho e a administração pública e adiantou que a Sophos é apontada por consultoras independentes especializadas entre as cinco empresas líderes em cibersegurança para empresas a nível mundial, europeu e da Península Ibérica.

Alberto Rodas e Ricardo Maté revelaram que, para os consumidores, a Sophos tem o software de segurança gratuito Sophos Home e o Sophos Home Premium, com licenças para 10 dispositivos por 40 euros para um ano ou 80 euros para dois, em ambos os casos só disponíveis online em https://home.sophos.com.

Alberto Rodas salientou que o motor deste software para o consumo é idêntico ao utilizado para a segurança empresarial.

Ainda sem comentários