Receitas Intel baixaram ligeiramente I semestre fiscal

Publicado em 23/07/2021 10:22 em Indústria TI

A multinacional de semicondutores Intel, líder no fabrico de processadores para PC, anunciou um volume de negócios de 39 304 milhões de dólares (33,36 mil milhões de euros) no primeiro semestre fiscal de 2021, concluído a 26 de Junho, uma redução de 0,6%.

Em comunicado de resultados divulgado quinta-feira à noite (hora portuguesa), a Intel anuncia indica no primeiro semestre fiscal de 2021 teve lucros de 8 422 milhões de dólares (7,15 mil milhões de euros), uma queda de 21,8%, um resultado por acção de 2,08 dólares (1,77 euros) e resultados operacionais de 9 240 milhões de dólares (7,85 mil milhões de euros),um recuo de 27,4%.

A despesa em investigação e desenvolvimento (I&D) cresceu 10,7%, para 7 738 milhões de dólares (6,23 mil milhões de euros), nos primeiros seis meses do ano fiscal em curso, revela a multinacional norte-americana.

No segundo trimestre fiscal as receitas cresceram 2%, os lucros aumentaram 6% e a despesa em I&D subiram 11%, segundo os dados da empresa.

No primeiro semestre fiscal, a unidade Client Computing Group (computadores) facturou 20 714 milhões de dólares (16,14 mil milhões de euros), um aumento de 7,5%, a unidade Data Centre (centros de dados) registou receitas de 12 019 milhões de dólares (10,21 mil milhões de euros), uma quebra de 14,8%, a unidade de IoT (Internet das Coisas) vendeu 2 602 milhões de dólares (2,21 mil milhões de euros), um acréscimo de 33,2%, e a unidade de soluções de memória não voláteis facturou 2 205 milhões de dólares (1,87 mil milhões de euros), em queda de 4,0%.

Para o terceiro trimestre fiscal, a Intel prevê receitas da ordem dos 19,1 mil milhões de dólares (16,2 mil milhões de euros), e para o conjunto do ano fiscal espera facturar em torno dos 77,6 mil milhões de dólares (65,9 mil milhões de euros).

Pat Gelsinger, presidente executivo (CEO) da multinacional, citado no comunicado, considera que «nunca houve um período tão excitante para a indústria de semicondutores».

Acrescentou que a digitalização de todas as coisas continua a acelerar, criando um grande crescimento de oportunidades para a companhia, para os seus clientes e para as áreas de negócio emergentes.

Gelsinger destacou que, com o foco renovado tanto na inovação como na execução, a Intel tem uma posição única para capitalizar esta oportunidade, que acredita ser apenas o início do que será uma década de crescimento sustentado para a indústria.

O CEO da Intel sublinhou os resultados do segundo trimestre comprovam que o «momentum» da Intel está em construção, a sua execução está a melhorar e os consumidores a continuam a escolher para produtos líderes.

Ainda sem comentários