Compromisso social e ambiental da HP tem quase 80 anos

Publicado em 16/06/2021 21:23 em Indústria TI

O Director-geral (DG) da HP Portugal, José Correia, disse hoje que a política de responsabilidade social e ambiental da HP tem quase 80 anos, recordando que em 1942 criou um seguro de saúde para todos os trabalhadores e em 1957 aprovou um compromisso corporativo com o ambiente.

Em conferência de imprensa pela Internet, José Correia recordou que a HP foi fundada em 1939 na Califórnia (Estados Unidos) pelos engenheiros Bill Hewlett e Dave Packard e emprega actualmente cerca de 50 mil trabalhadores, operações em 180 países e 200 mil parceiros de canal, e há duas décadas, desde 2001, apresenta relatórios anuais de responsabilidade social.

Indicou que a empresa, que já utilizou mais de mil toneladas de plástico reciclado nos seus consumíveis, parte recuperado nos oceanos, iniciou em 1966 a reciclagem de cartões perfurados (que na altura eram usados nos computadores), em 1987 foi umas das primeiras companhias a iniciar um programa de reciclagem de hardware e entre 2000 e 2018 fabricou mais de 4,6 mil milhões de tinteiros e embalagens de toner a partir de 116 mil toneladas de plástico reciclado.

O DG da HP Portugal sustentou que hoje as empresas precisam de ir mais longe nos seus compromissos sociais e ambientais e adiantou que a companhia comprometeu-se a atingir até 2025 neutralidade carbónica e zero desperdício e a usar apenas electricidade de fontes renováveis.

Acrescentou que a inclusão digital é uma das grandes batalhas da empresa e destacou que muitos milhões de alunos em todo o mundo ficaram no ano passado sem aprendizagem por não disporem de meios digitais adequados ou não terem Internet. Por isso, a HP compromete-se a garantir melhores condições de aprendizagem para 100 milhões de pessoas, também até 2025.

José Correia adiantou que a empresa pretende até 2030 atingir a neutralidade carbónica no negócio de fornecimento, atingir os 75% de economia circular na produção e embalagem, «o que é um desafio enorme», e garantir uma florestação que compense a utilização de papel nas suas impressoras.

Advertiu que esta florestação compensa o gasto de papel que a empresa pode conhecer, o que está relacionado com novas soluções, hoje anunciadas, e outras existentes que lhe permitam saber a quantidade de papel gasto pelos seus utilizadores.

No plano social, a empresa quer atingir até 2030 a paridade de género nas funções de liderança e direcção da HP, ultrapassar os 30% de mulheres em funções técnicas e de engenharia, assegurar o respeito pelos direitos humanos em todos os seus fornecedores e, nos Estados Unidos, ter uma representação de raças e etnias não inferior ao seu peso no conjunto do país.

Ainda sem comentários