Receitas Altice Portugal cresceram em 2020

Publicado em 31/03/2021 18:12 em Operadores / Serviços

O operador de telecomunicações Altice Portugal, detentor da marca MEO, anunciou terça-feira que as suas receitas aumentaram 0,5% em Portugal, para 2 121,2 milhões de euros.

Em comunicado de imprensa, a Altice revela que as despesas de capital (CAPEX, investimento) atingiram um valor recorde de 465,7 milhões de euros, um aumento de 6,9%.

A companhia recorda que no primeiro semestre atingiu a meta estabelecida para 2020 de 5,3 milhões de casas passadas com fibra óptica (com acesso potencial a fibra) e terminou o ano com 5,6 milhões de casas passadas, «a maior rede de fibra do país», que tem potencial para chegar a 85% dos lares.

A Altice indica que no ano passado atingiu em Portugal 168,9 milhares de adições líquidas (novos contratos menos contratos rescindidos) nos serviços fixos, enquanto o negócio móvel conseguiu mais 196,5 mil adições pós pagas (de assinatura) em 2020 (a Altice não indica o número de adições líquidas totais no ano)

O comunicado, que não indica valores anuais de receitas desagregadas, revela no segmento de consumo terminou o ano com um crescimento de 0,4% nas receitas e o de serviços empresariais (empresas, grossistas e restantes unidades de negócios da Altice Portugal) cresceu no quarto trimestre em termos homólogos.

Alexandre Fonseca, presidente executivo da Altice, citado no comunicado, afirma que o contexto adverso não abrandou o nível de investimento do operador e sublinha que «o rigor financeiro, a capacidade de adaptação, a agilidade e a resiliência permitiram manter o ritmo de crescimento ao longo de 2020».

Aquele responsável da Altice Portugal considera que se «agudiza um contexto manifestamente difícil, directamente relacionado com o ambiente regulatório adverso, hostil e imprevisível imposto pela ANACOM [Autoridade Nacional de Comunicações], resultando em profundas alterações no mercado, causadas pelos benefícios injustificados aos novos entrantes e pelo desequilíbrio artificial do mercado daí resultante, com consequências imprevisíveis para o sector, para os clientes e para a economia em geral».



Nota: o Falar de Economia e Tecnologia tentou terça-feira falar com responsáveis de comunicação da Altice para obter dados adicionais e, como não conseguisse ser atendido pelo telefone, enviou mensagens electrónicas para o endereço de duas responsáveis pedindo mais elementos, mas durante mais de 24 horas não obteve resposta. Também não encontrou os elementos pretendidos no sítio Internet da CMVM ou no sítio da empresa.

Ainda sem comentários