Telecomunicações mantêm liderança queixas consumidores

Publicado em 09/02/2021 16:24 em distribuição/consumo

As telecomunicações continuaram em 2020 a liderar as queixas dos consumidores portugueses, situação que se mantêm há 13 anos, com 37 723 reclamações contra as empresas desse sector chegadas à Defesa do Consumidor (DECO), revelou aquela organização.

Em comunicado, a DECO revela que no ano passado recebeu 396 767 reclamações apresentadas por consumidores, mais 16% do que no ano precedente, e destaca os 6 838 pedidos de ajuda recebidos na linha de apoio ao consumidor turista.

A organização destaca que a pandemia «marcou indubitavelmente o cenário das reclamações» dos consumidores em Portugal e refere que do turismo ao comércio electrónico, passando pelos espectáculos e lazer, os portugueses enfrentaram conflitos que até aí eram ocasionais, observando que as medidas excepcionais para os defender, publicadas desde Março de 2020, não foram suficientes para proteger os seus direitos.

A DECO destaca os casos relacionados com problemas com as compras em linha, as dificuldades para obter o reembolso de bilhetes de espectáculos, concertos e festivais, pagamento de mensalidades e serviços em creches e jardins de infância e cobrança de taxas adicionais nos serviços de saúde para equipamentos de protecção dos profissionais dominaram as 23 745 mediações efectuadas pela DECO.

Nas questões relacionadas com comércio, as compras em linha (online) foram, em tempos de pandemia, a maior fonte de problemas dos consumidores, nomeadamente no sector alimentar, com encomendas não entregues ou tardias, problemas no reembolso de valores pagos ou dificuldades de contactos com o apoio ao cliente.

Nas telecomunicações, destaque para os problemas relacionados com períodos de fidelização, práticas comerciais desleais e dificuldades relacionadas com pedidos de cancelamento de serviços.

Nos seguros, as áreas que deram origem a mais queixas foram os seguros de saúde (comparticipações, coberturas, exclusões), de protecção do crédito (em situações de desemprego ou incapacidade) e no automóvel as actualizações de prémios.

Os sectores com maior número de queixas à DECO foram:

- Telecomunicações - 37 723;

- Bens de Consumo -32 866;

- Turismo – 26 432;

- Serviços financeiros – 24 618;

- Energia e água – 13 985;

- Transportes (na maioria aéreos) – 11 507.

Ainda sem comentários