Metade dos utilizadores apps financeiras não sabem se os seus dados são vendidos

Publicado em 27/01/2021 22:03 em Segurança Informática

A empresa de segurança informática ESET estima que metade dos utilizadores de aplicações financeiras em mercados desenvolvidos desconhece se a aplicação vende os seus dados.

Em comunicado, a ESET indica que fez uma sondagem a mais de 10 mil utilizadores de aplicações Fintech gratuitas (home banking, gestão de cartões de crédito, etc) do Reino Unido, Estados Unidos, Austrália, Japão e Brasil), que que apenas 31% afirmou ter lido os termos e condições de uma app Fintech antes de a instalar e apenas 29% dizem ter lido a respectiva política de privacidade.

A ESET estima que mais de dois em cada cinco (42%) utilizadores de computadores e dispositivos móveis têm uma aplicação Fintech gratuita.

A ESET sublinha que quase metade de todos os inquiridos não utilizam uma VPN (rede privada virtual) e, «mais grave do que isso. 42% fazem login às suas aplicações financeiras ligados a pontos de acesso Wi-Fi públicos.

A empresa eslovaca de segurança informática observa que entre os 22% classificados como «Fintech adopters», ou seja, os que usam quatro ou mais aplicações deste tipo, 93% têm software de segurança instalado, pelo menos em alguns dos dispositivos que utilizam, mas entre os que usam entre uma e três aplicações Fintech a percentagem desce para 85%, o que parece indicar que os que usam mais aquele tipo de aplicações há uma maior consciência dos perigos e tomam mais precauções em relação à segurança das finanças pessoais.

Ignacio Sbampato, administrador executivo da ESET, considerou que «proteger os dados financeiros e sensíveis dos utilizadores nunca foi tão importante como agora», acrescentando que «a tecnologia financeira tem um papel a desempenhar no caminho da recuperação económica a nível pessoal e da sociedade» e que «é vital que as soluções Fintech e os seus estejam protegidos adequadamente», com o software de seguranla mais avançado.

Ainda sem comentários