Queda movimento aéreo passageiros piorou em Setembro

Publicado em 17/11/2020 22:20 em Destaques

Em Setembro o movimento de passageiros nos aeroportos portugueses caiu 69,0% homólogos, um agravamento face à redução homóloga de 65,9% registada em Agosto, indicou o Instituto Nacional de Estatística.

Em Setembro o movimento nos aeroportos portugueses inverteu as tendências menos negativas dos dois meses anteriores, observa.

No entanto, o movimento de carga e correio aéreos teve em Setembro uma queda menos intensa, passando de um recuo homólogo de 39,0% em Agosto para uma diminuição de 29,8% em Setembro, acrescenta o INE.

O INE assinala que no período entre 21 de Agosto e 10 de Setembro, em que Portugal esteve incluído pelo Reino Unido na lista de destinos seguros, a queda homóloga (face a igual período do ano anterior) de passageiros provenientes do Reino Unido foi de 53,5%, enquanto nos restantes dias de Agosto e Setembro se verificou uma diminuição média de 80,2% nos passageiros vindos ou com destino aos aeroportos britânicos.

O INE refere que em Setembro chegaram aos aeroportos nacionais 10,8 mil aeronaves em voos comerciais (menos 50,2% homólogos, pior do que a queda de 46,4% em Agosto), que movimentaram 1,9 milhões de passageiros em embarques, desembarques e em trânsito directo, uma redução homóloga de 69,0% em Setembro (menos 65,9% em Agosto),

Nos três primeiros trimestres aterraram nos aeroportos portugueses 77,7 mil aeronaves (menos 55,9% do que nos nove primeiros meses de 2019), que movimentaram 15,3 milhões de passageiros (redução homóloga de 67,3%)

O aeroporto de Lisboa movimentou ligeiramente mais de metade do total de passageiros, 7,8 milhões, um decréscimo homólogo de também de 67,3%, o que significa menos de um terço dos passageiros movimentados no três primeiros trimestres de 2019, adianta o INE, que assinala que Faro foi o aeroporto mais penalizado, com uma redução homóloga de 75,4%, menos de um quarto do movimento de igual período de 2019.

O INE indica que a França foi o principal país de origem e destino dos voos para e de aeroportos portugueses, seguindo-se Reino Unido, Alemanha, Espanha e Suíça.

Ainda sem comentários