Movimento passageiros nos aeroportos Maio sem expressão

Publicado em 22/07/2020 13:46 em Indicadores estatísticos

O movimento de passageiros nos aeroportos portugueses apresentou em Maio uma muito reduzida recuperação, caindo 98,5% homólogos, para apenas 82,1 mil passageiros (embarques, desembarques e em trânsito), revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O destaque do INE, que inicia a divulgação mensal de dados sobre a actividade do transporte aéreo em Portugal, indica que o movimento de carga e correio chegados aos aeroportos nacionais, caiu para menos de metade (menos 55,5% homólogos), quedando-se pelos 8100 toneladas.

Em Maio aterraram nos aeroportos portugueses 1600 aeronaves, uma queda homóloga (face ao mesmo período do ano anterior) de 92,3%, indica o Instituto.

Nos cinco primeiros meses do ano, os aeroportos nacionais movimentaram 9,6 milhões de passageiros (menos 56,5% homólogos) e 66,3 milhares de toneladas de carga e correio (menos 22,8%), acrescenta.

Neste período aterraram em Portugal 43 100 aeronaves em voos comerciais, menos 50,6% do que no mesmo período de 2019

O INE indica que, no acumulado de Janeiro a Maio, o aeroporto de Faro apresentou o maior decréscimo (73,6%) no número de passageiros movimentados (764 mil), enquanto o de Lisboa movimentou mais de metade (57,4%) do total, com 5,5 milhões de passageiros, número que representou uma redução de 53,0%.

O aeroporto de Pedras Rubras (Porto) movimentou 2,21 milhões de passageiros (23,1% do total) nos cinco primeiros meses de 2020, uma queda de 55,3%.

De Janeiro a Maio, a França foi o país de origem e de destino com maior número de passageiros que chegaram aos e partiram dos aeroportos nacionais, e, sempre considerando as partidas e as chegadas, seguiram-se o Reino Unido, Espanha, Alemanha e Brasil, segundo o INE.

O aeroporto de Lisboa representou mais de dois terços (68,4%) da carga e correio movimentados de Janeiro a Maio nos aeroportos nacionais e que totalizou 63 615 toneladas.

Ainda sem comentários