Mais 6% portugueses compraram na Internet no estado de emergência

Publicado em 07/07/2020 17:51 em Internet

A Cetelem, marca de crédito ao consumo do banco BNP Paribas, indica que durante o período de emergência 6% dos portugueses experimentaram fazer compras na Internet, enquanto quase metade (46%) continuaram a optar apenas por compras presenciais.

O inquérito Observador Cetelem revela que 48% dos portugueses já tinham feito compras electrónicas, sendo que 22% mantiveram o mesmo nível de compras e 26% afirmaram que aumentaram o seu volume de compras na Net.

Em comunicado, a Cetelem indica que, dos 6% de portugueses que experimentaram as compras electrónicas durante o período de confinamento, apenas um em cada seis garante que vai continuar a comprar na Internet, enquanto cinco em cada seis não sabem se vão continuar a utilizar aquela forma de comprar.

Os inquiridos entre os 25 e os 34 anos (44%) e os residentes na região Norte (38%) estão entre os que já tinham feito compras na Internet e que aumentaram o volume de compras em linha.

Mais de metade (54%) dos que compraram na Internet naquele período encomendaram produtos de mercearia mais pesados e não perecíveis, enquanto 35% escolheram essa opção para evitar lojas mais movimentadas.

Quase um terço (32%) dos inquiridos afirmaram que sempre que possível fizeram compras por Internet e 19% indicaram que utilizaram este canal para comprar produtos que vão utilizar na Internet, como videojogos ou livros electrónicos.

Em tempos de distanciamento social, um terço (33%) dos consumidores optou pelo dinheiro, mas 35% usaram cartões de crédito ou débito contactless.

A Cetelem indica que 15% optaram por pagamentos com cartões virtuais, percentagem que ultrapassou as habituais transferências bancárias, preferidas por 6%.

O inquérito Observador Cetelem baseou-se numa amostra representativa, com cerca de um milhar de pessoas entre os 18 e os 74 anos, com respostas recolhidas entre 20 de Maio e 1 de Junho.

Ainda sem comentários