Confiança consumidores em queda livre em Abril

Publicado em 29/04/2020 18:08 em Economia Geral

A confiança dos consumidores portugueses recuou fortemente em Abril, com o indicador de confiança a registar em Abril o maior recuo da série estatística actual face ao mês anterior e a atingir o valor mínimo desde Setembro de 2014 , revela o Inquérito de Conjuntura às Empresa e aos Consumidores, do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os indicadores de confiança, como muitos outros indicadores qualitativos, são elaborados com dados alisados, em média móvel de 3 meses (MM3M), o que significa que o indicador de Abril é na realidade a média dos valores mensais de Fevereiro a Abril. Em casos de disrupção, com uma alteração mais súbita, os valores mensais são uma abordagem da realidade mais rápida do que os valores alisados, mais pesados.

Segundo o INE, o valor mensal de Abril, o Indicador de Confiança dos Consumidores, teve em Abril o valor mais baixo desde Maio de 2013.

As opiniões dos consumidores sobre a situação económica do país nos próximos 12 meses e a intenção de compras importantes no próximo ano estão em Abril em mínimos mensais históricos da série, iniciada em Setembro de 1997, e as expectativas sobre a situação financeira futura do agregado familiar estão apenas ligeiramente abaixo do mínimo registado em Outubro de 2012, de acordo com os números do INE.

As respostas deste mês sobre a situação económica da família no último ano, embora com uma assinalável evolução desfavorável face a Março, são ainda muito menos negativas do que o mínimo histórico da série.

No entanto, considerados em MM3M (adoptada na construção do Indicador de Confiança) os valores de Abril estão ainda muito distantes dos mínimos históricos da série, de acordo com os números do INE.

O INE destaca que a queda do Indicador de confiança dos Consumidores em Abril se deve principalmente ao contributo muito negativo das expectativas de evolução económica do país, da situação financeira do agregado familiar e de compras importantes nos próximos 12 meses.

O período de recolha de respostas dos consumidores decorreu de 1 a 17 de Abril, indica ao INE.

Ainda sem comentários