Procura cresce, mas produção de PC caiu 8% por falta componentes

Publicado em 13/04/2020 14:07 em Destaques

A procura de computadores pessoais (PC) cresceu devido ao aumento da adopção de soluções de trabalho e ensino remotos, mas a produção de PC caiu 8,0% homólogos no primeiro trimestre, particularmente devido à falta de componentes, anunciou a consultora e analista de mercados Canalys.

A Canalys indica que nos primeiros três meses do ano em curso a produção de computadores de secretária, portáteis e estações de trabalho (workstations) baixou para 53,68 milhões de unidades, que compara com quase 58,35 milhões no primeiro trimestre do ano passado.

A consultora explica que a transição de fábricas de processadores da Intel para a tecnologia de 10 nanometros foi um dos factores de estrangulamento da produção numa fase de maior procura, uma condicionante que foi exacerbada com o encerramento de fábricas na China após o novo ano chinês.

Adianta que num contexto de trabalho remoto e ensino à distância, a importância do preço como factor determinante foi ultrapassada pelo prazo de entrega, que passou a mais importante factor de escolha.

A Canalys adianta que os cinco principais fabricantes se mantiveram, com a Lenovo a ganhar a liderança mundial e a vender 12,83 milhões de computadores (uma descida de 4,4% e uma quota de mercado de 23,9%, reforçada) e a HP na segunda posição, com 11,70 milhões de unidades vendidas (menos 13,8%) e uma quota de 21,8%(menos 1,5 pontos).

Dell foi a única grande marca que reforçou as suas vendas, com um acréscimo de 1,1%, vendendo quase 10,5 milhões de unidades, com reforço da sua quota de mercado para 19,6%.

A Apple manteve o quarto lugar mas perdeu quota de mercado, para 6,0% (menos 1 ponto percentual) e as vendas de Mac baixaram 21,0%, para 3,22 milhões de máquinas, enquanto a Acer continuou em quinto lugar mas apesar de uma queda de 12,6% das vendas, e de também ter perdido quota de mercado, para 5,8%, aproximou-se da Apple.

A Canalys assinala que os fabricantes deverão apresentar contas trimestrais sólidas nas próximas semanas, com margens operacionais a atingirem recordes, o mesmo sucedendo em relação a fabricantes de auscultadores com microfone, câmaras Web, impressoras e monitores, tal como de alguns tipos de software, incluindo soluções de segurança informática.

Acrescenta que a tecnológica AMD, que concorre com a Intel no fabrico de microprocessadores, teve um bom trimestre ao ser aceite como alternativa à Intel por muitas empresas e consumidores que procuravam PC.

Ishan Dutt, analista da Canalys, prevê que no segundo trimestre a situação não se repita, com o alívio dos constrangimentos na China, o reequipamento de empresas e particulares e a entrada numa recessão global, que levará muitas empresas à falência e gerará milhões de desempregados.

Acrescenta que também os governos e grandes corporações deverão canalizar prioritariamente as despesas de investimento para outras áreas.

Ainda sem comentários