Facturação Altice Portugal atinge 2210 milhões euros em 2019

Publicado em 25/03/2020 23:23 em Operadores / Serviços

A Altice Portugal, que detém a marca MEO, anunciou que atingiu no ano passado um volume de negócios de 2110 milhões de euros, um aumento de 1,7%, que inverte a redução verificada em 2018.

Em comunicado de resultados, a antiga PT, agora filial da multinacional Altice, indica que os resultados «significam voltar ao crescimento após mais de uma década de contracção», com quatro trimestres consecutivos de crescimento ao longo de 2019.

Indica que o segmento de serviços de consumo cresceu 0,9% no ano passado, para uma facturação de 1191 milhões de euros, enquanto no segmento empresarial as receitas subiram 2,8%, com a facturação a progredir nos últimos seis trimestres.

A Altice Portugal destaca que as despesas de capital (CAPEX) cresceram 2,9% em 2019, para 436 milhões de euros, em resultado do investimento na melhoria da rede móvel 4G e no reforço da infra-estrutura móvel de fibra óptica.

indica que no ano passado passou 425 mil casas com fibra óptica e atingiu 4,9 milhões de casas passadas (casas que potencialmente podem aceder à fibra), cada vez mais perto do objectivo de atingir 5,3 milhões de casas passadas no fim do presente ano.

A empresa indica que se manteve a tendência de convergência (em pacotes com vários serviços) e indica que a base instalada de clientes com tecnologia de fibra óptica cresceu 9 pontos percentuais, para 60% no final do ano passado, correspondentes a 1 milhão de clientes.

A Altice Portugal refere um aumento da sua base de clientes, com crescimento do número de clientes no negócio fixo (televisão, Internet e telefone), com mais 80 mil do que um ano antes, e um aumento nas subscrições do serviço de telefonia móvel pós pago.

No segmento empresarial, que engloba o negócio grossista, as receitas cresceram seis trimestres consecutivos até ao fim do ano passado, com um excelente desempenho da Altice Labs (antiga PT inovação) no mercado português e internacional.

A Altice destaca a venda no quarto trimestre a de 49,99% da unidade de negócio da rede de fibra óptica (que detém a rede de fibra óptica da MEO) à Morgan Stanley, tendo como premissa o acesso de todos à rede e uma actuação autónoma no mercado.

A empresa garante que o MEO foi o único operador que conseguiu reduzir o número de reclamações no ano passado (menos 21%) e foi pela primeira vez o operador com menos reclamações por mil clientes.

Ainda sem comentários