Altice Portugal facturou 536 milhões euros terceiro trimestre

Publicado em 13/11/2019 23:12 em Operadores / Serviços

A operadora de telecomunicações Altice Portugal (ex-PT) anunciou um volume de negócios de 536 milhões de euros no terceiro trimestre, um crescimento homólogo (face ao mesmo período do ano anterior) de 2,1%.

Em comunicado de resultados, a Altice Portugal indica que as receitas do segmento de serviços empresariais cresceram 3,6% homólogos e as de consumo aumentaram 0,9%.

O operador de telecomunicações sublinha que a sua base de clientes de consumo cresceu pelo oitavo trimestre consecutivo e conquistou 44% das adições líquidas do terceiro trimestre no mercado português, para os serviços de TV, banda larga e voz, fixas e móveis.

A Altice Portugal sublinha que 58% da sua base de clientes de consumo já assenta em tecnologia de fibra óptica, um aumento de 3 pontos percentuais (pp) face ao segundo trimestre e de 9 pp em 12 meses.

O operador adianta que no trimestre passado (Julho/Setembro) alcançou os 4,8 milhões de casas passadas com fibra óptica, isto é, casas potencialmente cobertas pela tecnologia, o que permite ao cliente solicitar fibra óptica e ter resposta imediata. Recorda que a meta para 2020 é chegar aos 5,3 milhões de casas passadas.

A companhia adianta que atingiu 13,4 milhões de «unidades geradoras de receita» (RGUs), com 190 mil adições líquidas durante o terceiro trimestre, sendo 38 mil no negócio fixo e 152 mil no negócio móvel.

Os clientes convergentes (com vários serviços, fixos e móveis) atingiram 46% do total no terceiro trimestre, um aumento homólogo de 2 pp.

O segmento de serviços empresariais, que inclui as empresas, a actividade grossista e as restantes unidades de negócio, tem crescimentos homólogos há cinco trimestres consecutivos, com um acréscimo de 3,6% no trimestre passado, sobretudo pelo forte aumento da Altice Labs, com acréscimo homólogo de 30% das receitas, e bons desempenhos no segmento empresarial (B2B) e grossista.

A companhia afirma que consolidou a liderança no mercado de telecomunicações para empresas e que no segmento grossista teve um acréscimo de receitas de 11,5% face ao trimestre anterior, sobretudo devido ao roaming de estrangeiros em Portugal no período de Verão, mas registou uma queda homóloga de 5,3%, que explica por decisões regulatórias e pelo declínio de receitas de aluguer de linhas telefónicas de cobre, à medida que outros operadores vão alargando a estrutura própria de fibra óptica.

Ainda sem comentários