Presidente Huawei compara 5G ao aparecimento electricidade

Publicado em 05/11/2019 23:48 em Web Summit

O presidente da multinacional de equipamentos de telecomunicações Huawei, Guo Ping, falando na abertura da Web Summit, comparou o desenvolvimento da tecnologia móvel 5G este século ao impacto da electrificação nos séculos XIX e XX e classificou o 5G como «uma oportunidade de ouro para toda a indústria».

Indicou que hoje já há 40 operadores que têm redes 5G a operar comercialmente em mais de 70 países e previu que no fim deste ano atinjam os 60 operadores com redes comerciais 5G e sublinhou que os utilizadores de 5G consomem três vezes mais dados móveis do que aqueles de utilizam a quarta geração móvel (4G).

Guo Ping precisou que a tecnologia de quinta geração pode atingir velocidades de 10 gigabits por segundo (Gbps) e tem uma latência de 1 mili segundo, o que significa que pode permitir 1 milhão de ligações por quilómetro quadrado e põe o poder da nuvem no bolso dos utilizadores.

Previu que com a tecnologia 5G, no futuro as pessoas separadas por longas distâncias possam comunicar em tempo real e os trabalhadores possam mehorar as operações do seu trabalho e a eficiência.

O presidente da Huawei, embora garantindo que a Huawei está focada nas comunicações e dispositivos móveis e na «cloud» (nuvem), adiantou que as empresa aborda outras áreas e citou o projectos Track AI, com inteligência artificial, que permite diagnosticar e prevenir precocemente doenças oftalmológicas em crianças e promover a saúde oftalmológica das crianças.

Ping salientou que nos últimos cinco anos a Huawei estabeleceu 21 laboratórios de investigação e desenvolvimento em todo o mundo.

Indicou que para suportaras áreas da mobilidade e da nuvem, a companhia lançou o programa Huawei Developer, destinado a 1,3 milhões de programadores, e está a lançar o programa Developers (desenvolvedores de aplicações) 2.0, em que irá investiu 1500 milhões de dólares nos próximos cinco anos para expandir o programa para 5 milhões de programadores.

Acrescentou que a multinacional tem programas com universidades, Institutos, startups e parceiros.

O presidente da multinacional chinesa adiantou que a companhia alocou mil milhões de dólares para o programa de canal que visa motivar os desenvolvedores a inovar e espera com isso atrair apps de alta qualidade.

Guo Ping disse que a Huawei está a trabalhar para tornar o uso da inteligência artificial (AI, na sigla inglesa) mais fácil para todos os desenvolvedores de aplicações, apenas com um clique, encarregando-se da computação e libertando os «developers» para se focarem-se no seu trabalho e na criação e desenvolvimento dos melhores produtos sem se preocuparem com a tecnologia.

Sustentou que estamos a entrar num mundo totalmente ligado e a desenvolver um ecossistema em que os smartphones se podem ligar a todo o tipo de dispositivos.

Ainda sem comentários