Receitas da Nokia crescem no terceiro trimestre

Publicado em 30/10/2019 23:54 em Indústria

A multinacional de telecomunicações finlandesa Nokia anunciou que o seu volume de negócios cresceu 4% homólogos no terceiro trimestre, para 5686 milhões de euros, e voltou aos lucros, com resultados líquidos positivos de 87 milhões de euros.

Em comunicado de resultados, a companhia revela que os seus resultados operacionais regressaram ao verde no terceiro trimestre, com um lucro operacional de 264 milhões de euros, que compara com prejuízos operacionais de 54 milhões de euros no mesmo trimestre do ano passado.

Nos três primeiros trimestres de 2019, comparando com igual período de 2018, as receitas subiram 5%, para 16 412 milhões de euros, mas os resultados operacionais permaneceram negativos, em 318 milhões de euros, que comparam com um prejuízo operacional de 611 milhões de euros em período homólogo. Nos primeiros nove meses do ano, a Nokia reduziu os prejuízos para 545 milhões de euros.

A Nokia destaca o desempenho da companhia na tecnologia móvel 5G, com 48 negócios e 15 redes já lançadas.

O presidente e CEO da Nokia, Rajeev Suri, citado no comunicado, sublinha que a Nokia teve um terceiro trimestre sólido, com crescimento das vendas, sólida margem operacional e fortes desempenhos da Nokia Enterprise, Nokia Software e IP Routing.

Rajeev Suri antecipa um forte quarto trimestre e uma margem operacional robusta nos últimos três meses do ano, mas assinala que os riscos que relacionados com o 5G, que já tinham sido previstos, estão a materializar-se, nomeadamente os custos altos associados com a primeira geração de produtos da tecnologia, os desafios de rentabilidade na China e a pressão de preços nos primeiros negócios 5G.

Neste contexto, Suri indica que estão a ser revistas em baixa as expectativas para o conjunto do ano de 2019 e para 2020, devido às margens pressionadas e a investimentos adicionais em 5G e na digitalização, mas espera-se uma recuperação que permita uma melhoria no desempenho financeiro em 2021.

Por regiões, nos nove primeiros meses de 2019, a Nokia anuncia um crescimento homólogo de 10% nas receitas na América do Norte, para 4877 milhões de euros, de 3% na Europa, para 4725 milhões de euros, de 10% na Ásia/Pacífico, para 3173 milhões de euros, e de 8% na América Latina, para 1005 milhões de euros.

Em contrapartida, as receitas na Grande China (inclui Taiwan) baixaram 11%, para 1374 milhões de euros, e no Médio Oriente e África caíram 4%, para 1257 milhões de euros.

Ainda sem comentários