Receitas Lenovo cresceram 5% no primeiro trimestre fiscal

Publicado em 20/09/2019 22:20 em Empresas

O volume de negócios da Lenovo, multinacional chinesa fabricante de equipamentos de tecnologia, cresceu 5% homólogos no primeiro trimestre fiscal, terminado em 30 de Junho, para 12,5 mil milhões de dólares (11,34 mil milhões de euros), indicou Miguel Coelho, director ibérico da área de empresas e sector público.

Em encontro com a imprensa quarta-feira em Lisboa, para apresentar novos portáteis ThinkBook, Miguel Coelho indicou que a Lenovo no mesmo período mais do que duplicou os lucros, atingindo 162 milhões de dólares (147 milhões de euros), um aumento homólogo (face ao primeiro trimestre fiscal do ano anterior) de 111%.

Miguel Coelho indicou que a Lenovo, que em 2005 adquiriu a divisão de computadores pessoais (PC) da gigante da informática norte-americana IBM, lidera as vendas de PC com uma quota de 24,9% do mercado mundial (praticamente um em cada quatro PC vendidos no planeta tem a marca Lenovo).

Acrescentou que a Lenovo teve um crescimento de 12% na área dos equipamentos para Centros de Dados e é um actor nesta área que não se resume aos servidores, lidera nos supercomputadores e está presente nos dispositivos móveis, onde adquiriu a marca norte-americana Motorola.

Miguel Coelho precisou que na região EMEA – Europa, Médio Oriente e África, com 25% de quota de mercado nos computadores, lidera nos PC para empresas com 40% de quota, é número 1 no mercado de PC para consumo e está em segundo lugar nas pequenas e médias empresas (PME), segmento onde detém 22% do mercado.

Observou que na EMEA as vendas de telemóveis da Lenovo estão a crescer 41%, ainda que a quota de mercado seja relativamente modesta.

Miguel Hernández, gestor de produto da Lenovo Ibérica, apresentou o portátil ThinkBook S, adequado para uso profissional e consumidores.

Indicou que os Millenials (nascidos entre 1980 e 1995) representam 35% da força de trabalho e a geração Z (nascidos a partir de 1995) 24% e preocupam-se mais com o design, as cores e os materiais dos computadores.

Hernández afirmou que compram computadores considerado não corporativos 43% das pequenas empresas (menos de 100 trabalhadores) e 22% das médias (100 a mil empregados), nomeadamente por o preço ser apercebido com mais barato e terem design mais apelativo.

Aquele gestor de produto da Lenovo indicou que ThinkBook S tem um design orientado para o consumo, é seguro e duradouro, é ultrafino e tem um suporte ao cliente de grau empresarial e uma boa qualidade de imagem e som.

Hernández salientou que o portátil é construído com utilização de cinco metais, do alumínio ao magnésio e zinco, que lhe garantem uma resistência e durabilidade excepcionais, tem protecção contra água e suporta temperaturas extremas e vibração, utiliza a tecnologia de segurança ThinkShield, da Lenovo, com soluções de autenticação biométrica e a protecção FIDO (Fast Identity Online) para proteger a identidade do utilizador e a protecção TPM2.0 por encriptação.

A bateria tem uma autonomia até 11 horas no caso do ThinkBook 13s e 10 horas no caso do 14s, o 13s vem com uma tecnologia de carregamento rápido,m trazem portas USB 3.1 de geração 2 (1 porta) e geração 1 (duas portas).

O ThinkBook 13s, já disponível no mercado pesa menos de 1,4 quilos e tem uma espessura inferior a 15,9 milímetros (mm), tem opção entre processadores Intel i5 e 17 de oitava geração, 4 gigabytes (Gb), 8 Gb ou 12 Gb de memória RAM DDR4 e discos SSD de 128 Gb, 256 Gb ou 512 Gb, com preços recomendados a partir de 956 euros.

O Thinkbook 14s tem opções semelhantes ao 13s em processadores e discos SSD e tem opções de 8 ou 16 Gb de RAM, deverá chegar ao mercado em Novembro ou Dezembro e ainda não tem preço definido, segundo fonte da Lenovo.

O volume de negócios da Lenovo, multinacional chinesa fabricante de equipamentos de tecnologia, cresceu 5% homólogos no primeiro trimestre fiscal, terminado em 30 de Junho, para 12,5 mil milhões de dólares (11,34 mil milhões de euros), indicou Miguel Coelho, director ibérico da área de empresas e sector público.

Em encontro com a imprensa quarta-feira em Lisboa, para apresentar novos portáteis ThinkBook, Miguel Coelho indicou que a Lenovo no mesmo período mais do que duplicou os lucros, atingindo 162 milhões de dólares (147 milhões de euros), um aumento homólogo (face ao primeiro trimestre fiscal do ano anterior) de 111%.

Miguel Coelho indicou que a Lenovo, que em 2005 adquiriu a divisão de computadores pessoais (PC) da gigante da informática norte-americana IBM, lidera as vendas de PC com uma quota de 24,9% do mercado mundial (praticamente um em cada quatro PC vendidos no planeta tem a marca Lenovo).

Acrescentou que a Lenovo teve um crescimento de 12% na área dos equipamentos para Centros de Dados e é um actor nesta área que não se resume aos servidores, lidera nos supercomputadores e está presente nos dispositivos móveis, onde adquiriu a marca norte-americana Motorola.

Miguel Coelho precisou que na região EMEA – Europa, Médio Oriente e África, com 25% de quota de mercado nos computadores, lidera nos PC para empresas com 40% de quota, é número 1 no mercado de PC para consumo e está em segundo lugar nas pequenas e médias empresas (PME), segmento onde detém 22% do mercado.

Observou que na EMEA as vendas de telemóveis da Lenovo estão a crescer 41%, ainda que a quota de mercado seja relativamente modesta.

Miguel Hernández, gestor de produto da Lenovo Ibérica, apresentou o portátil ThinkBook S, adequado para uso profissional e consumidores.

Indicou que os Millenials (nascidos entre 1980 e 1995) representam 35% da força de trabalho e a geração Z (nascidos a partir de 1995) 24% e preocupam-se mais com o design, as cores e os materiais dos computadores.

Hernández afirmou que compram computadores considerado não corporativos 43% das pequenas empresas (menos de 100 trabalhadores) e 22% das médias (100 a mil empregados), nomeadamente por o preço ser apercebido com mais barato e terem design mais apelativo.

Aquele gestor de produto da Lenovo indicou que ThinkBook S tem um design orientado para o consumo, é seguro e duradouro, é ultrafino e tem um suporte ao cliente de grau empresarial e uma boa qualidade de imagem e som.

Hernández salientou que o portátil é construído com utilização de cinco metais, do alumínio ao magnésio e zinco, que lhe garantem uma resistência e durabilidade excepcionais, tem protecção contra água e suporta temperaturas extremas e vibração, utiliza a tecnologia de segurança ThinkShield, da Lenovo, com soluções de autenticação biométrica e a protecção FIDO (Fast Identity Online) para proteger a identidade do utilizador e a protecção TPM2.0 por encriptação.

A bateria tem uma autonomia até 11 horas no caso do ThinkBook 13s e 10 horas no caso do 14s, o 13s vem com uma tecnologia de carregamento rápido,m trazem portas USB 3.1 de geração 2 (1 porta) e geração 1 (duas portas).

O ThinkBook 13s, já disponível no mercado pesa menos de 1,4 quilos e tem uma espessura inferior a 15,9 milímetros (mm), tem opção entre processadores Intel i5 e 17 de oitava geração, 4 gigabytes (Gb), 8 Gb ou 12 Gb de memória RAM DDR4 e discos SSD de 128 Gb, 256 Gb ou 512 Gb, com preços recomendados a partir de 956 euros.

O Thinkbook 14s tem opções semelhantes ao 13s em processadores e discos SSD e tem opções de 8 ou 16 Gb de RAM, deverá chegar ao mercado em Novembro ou Dezembro e ainda não tem preço definido, segundo fonte da Lenovo.

Ainda sem comentários