Vodafone com 6,052 milhões de clientes de telemóvel em Portugal a 30 de Junho

Publicado em 22/07/2011 23:55 em Operadores / Serviços

A Vodafone Portugal tinha a 30 de Junho passado um total de 6,052 milhões de clientes do serviço móvel, o que representou um ligeiro recuo de 8 mil subscritores, anunciou hoje a multinacional britânica.

Quase um quinto (19%) eram clientes de assinatura e 81% adoptaram o sistema de serviço pré-pago.

Em comunicado de resultados, a Vodafone indica que no primeiro trimestre do ano fiscal de 2012 (concluído a 30 de Junho de 2011) obteve receitas de 11 659 milhões de libras (13 329 milhões de euros), um crescimento de 3,5%.

As receitas de serviço representaram 10 858 milhões de libras (12 329 milhões de euros), em alta de 2,6%.

As receitas de serviço na Europa representaram mais de 70% do total e cresceram 1,2%, para 7 607 milhões de libras (8 638 milhões de euros), enquanto na África, Médio Oriente e Ásia/Pacífico (AMAP) ascenderam a 3 159 milhões de libras (3 587 milhões de euros), um acréscimo de 8,7%.

As despesas de capital (essencialmente investimento) cresceram 15,9%, para 1 207 milhões de libras (1 371 milhões de euros).

A Vodafone indica que as receitas de dados cresceram 24,5%, para 1,5 mil milhões de libras (1,7 mil milhões de euros), representando já 13,7% das receitas de serviço do grupo, dinamizadas pelo crescimento da penetração dos smartphones e uma maior utilização da Internet móvel, com as receitas Internet a crescerem 44,2% na Europa e 52,7% na AMAP.

As receitas das telecomunicações empresariais aumentaram 1,7%, com um acréscimo de 0,7% na Europa e subida de 12,9% na AMAP. Neste segmento, as receitas de dados cresceram 21,2%.

As receitas das mensagens escritas ascenderam a 1,3 mil milhões de libras (1,5 mil milhões de euros), um acréscimo de 5,3%, e as receitas de serviço fixo cresceram 6,4%, para 900 milhões de libras (1,6 mil milhões de euros), representando 8,3% das receitas de serviço do grupo.

A Vodafone indica que tem actualmente 6,2 milhões de clientes no negócio de rede fixa.

Vitorio Colao, CEO da Vodafone, citado no comunicado, assinala que a companhia teve um bom início de ano fiscal, com resultados robustos apesar de condições macroeconómicas difíceis nas economias da Europa do Sul e do impacto da redução das tarifas de terminação móvel.

Ainda sem comentários