Portugal em 24º lugar no ranking Panda dos países mais afectados por malware

Publicado em 15/07/2011 00:36 em Segurança Informática

O PandaLabs, da multinacional espanhola de segurança informática Panda Security, anunciou que no segundo trimestre de 2011 Portugal ficou em 24º lugar entre os países mais afectados por infecções dos computadores.

Em comunicado, o Panda Labs afirma que Portugal está a meio da tabela dos países analisados, com cerca de 36% dos computadores nacionais afectados por malware, ainda assim ligeiramente abaixo da média dos países considerados (39%).

Os países menos afectados por infecções informáticas foram a Suécia, a Suíça e a Noruega e os mais atingidos a China, a Tailândia e Formosa (Taiwan).

O Panda indica que durante o segundo trimestre, em média, a cada minuto que passava eram criadas 42 novas estirpes de malware, o que significa mais de 60 mil por dia.

O Panda Labs assinala que o segundo trimestre foi dos piores de que há registo, destacando que grupos de «hacktivistas» como o «Anonymous» ou o LulzSec (que se manteve activo durante 50 dias) atacaram instituições como o FMI, o Departamento de Defesa norte-americano ou a Agência Espacial Europeia, e grandes empresas.

O laboratório opina que a actividade daqueles dois grupos esbateu as fronteiras entre «hacktivismo» e criminalidade. No entanto, não parece haver indícios de que a actividade daqueles dois grupos de piratas informáticos visasse retirar proveitos económicos mas apenas a contestação do sistema, apelando à quebra da segurança e ao roubo de informação para publicação na Internet.

Os cavalos de Tróia (software espião disfarçado de aplicação, que permite o controlo remoto de computadores e/ou o acesso a informação da máquina) foi a ameaça informática mais frequente, com quase 70% das novas ocorrências.

Seguem-se os vírus (16%) e os worms (vermes informáticos), com 11,6%.

Os falsos anti-vírus, oferecidos gratuitamente e que na realidade infectam os computadores, continuaram a crescer.

Ainda sem comentários