Produção de computadores deverá crescer 4,2% em 2011

Publicado em 12/06/2011 22:09 em Equipamentos

A consultora e analista de mercado IDC previu que a produção mundial de computadores pessoais cresça apenas 4,2% em 2011, para 361,6 milhões de unidades, uma revisão em baixa face à previsão de Fevereiro de um acréscimo de 7,1%.

Em comunicado, a IDC assinala que esta revisão se deve à conjugação de uma quebra da produção de 1,1% no primeiro trimestre (de 4,4% nas vendas ao consumo), a perspectivas económicas cada vez mais prudentes e a uma relativa saturação do mercado de consumo nos países desenvolvidos.

Os consumidores estão cada vez mais afectados pela conjugação da recessão prolongada, com aumento do desemprego, alto endividamento e aperto do crédito e menores rendimentos, com o aumento dos preços da energia e bens alimentares.

A compra de tablet PC, com o aparecimento de um grande número e variedade de novos modelos este ano, poderá ser a opção de muitos consumidores, lavando ao adiamento da substituição de portáteis.

Para o período de 2012 a 2015, a IDC antevê uma recuperação, com as vendas a crescerem no intervalo 10% a 11%, com PC cada vez mais potentes.

Aquela consultora indica que nos últimos cinco anos, o aparecimento de portáteis de baixo custo conduziu à compra por novos utilizadores nos mercados emergentes e de segundos computadores nos mercados mais maduros. Precisa que entre 2005 e 2007 as vendas de computadores no consumo cresceram 18,9% em média, quase 7 pontos percentuais mais do que no segmento empresarial.

Em 2008 e 2009 as vendas de PC a particulares aumentaram acima dos 25%, enquanto no mercado empresarial subiram menos de 3% no primeiro daqueles anos e baixaram 10,5% durante a recessão de 2009. As vendas de mini notebooks no consumo dos países desenvolvidos quase triplicaram entre 2008 e 2009.

A IDC prevê que as vendas mundiais de computadores aumentem de 361 milhões em 2011 para 541,5 milhões em 2015, com os computadores de secretária a passarem de 147 milhões para 158,3 milhões e os portáteis a dispararem de 214,6 milhões para 383,3 milhões no período em análise.

Nos mercados desenvolvidos (Europa Ocidental, Estados Unidos, Canadá e Japão), as vendas de desktop deverão recuar ligeiramente, para 53,3 milhões em 2015, enquanto as de portáteis aumentam de 105,4 milhões este ano para 153,6 milhões em 2015.

Nos restantes países, as vendas totais de computadores deverão passar de 201,3 milhões em 2011 para 334,6 milhões em 2015, com as vendas de computadores de secretária a evoluírem de 92,1 milhões para 104,9 milhões no período em análise e as de portáteis a mais do que duplicarem, para atingirem os 229,7 milhões em 2015.

Ainda sem comentários