Apple anuncia terceiro trimestre fiscal com receitas recorde

Publicado em 03/08/2019 21:50 em Indústria

A Apple anunciou que no terceiro trimestre fiscal, terminado a 29 de Junho, alcançou receitas recorde para um terceiro trimestre fiscal, de 53 809 milhões de dólares (48 156 milhões de euros), um aumento homólogo de 1%.

O CEO da companhia, Tim Cook, destacou no terceiro trimestre fiscal o recorde histórico nas receitas de serviços, a aceleração das vendas de wearables, o forte desempenho dos computadores Mac e dois iPad e uma significativa melhoria de tendência no IPhone.

Em comunicado de resultados, a Apple sublinha que 59% das receitas do terceiro trimestre fiscal foram geradas fora dos Estados Unidos.

A marca da maçã adianta que as receitas foram influenciadas positivamente por um recorde histórico das receitas dos serviços, que subiram 12,6% homólogos, para 11 455 milhões de dólares (10 309 milhões de euros), enquanto as receitas de produto caiam 1,7%, para 42 354 milhões de dólares (38 116 milhões de euros).

As vendas de iPhones caíram 11,8% no terceiro trimestre fiscal, para 25 986 milhões de dólares (23 386 milhões de euros), as de computadores Mac subiram 10,7%, para 5820 milhões de dólares (5238 milhões de euros), as de iPad aumentaram 8,4%, para 5023 milhões de dólares (4520 milhões de euros), e as de wearables e outros equipamentos progrediram 48,0%, para 5525 milhões de dólares (4972 milhões de euros).

No conjunto dos nove primeiros meses do ano fiscal, a Apple facturou 196 134 milhões de dólares (176 535 milhões de euros), uma redução de 3,2%, com as receitas de produtos a caírem 6,4%, para 162 354 milhões de dólares (146 128 milhões de euros) e os serviços facturados a aumentarem 15,9%, para 33 780 milhões de dólares (30 404 milhões de euros).

A Apple apresentou resultados operacionais de 11 544 milhões de dólares (10 390 milhões de euros) no terceiro trimestre fiscal e de 48 305 milhões de dólares (43 477 milhões de euros), em ambos os casos uma redução homóloga, e os lucros caíram para 10 044 milhões de dólares (9044 milhões de euros) no terceiro trimestre e para 41 570 milhões de dólares (37 415 milhões de euros) nos nove primeiros meses do ano fiscal.

Nos nove primeiros meses do ano fiscal em curso a grande queda de receitas ocorreu na Grande China (inclui Taiwan), com uma redução de 19,7%, para 32 544 milhões de dólares (29 290 milhões de euros), enquanto na Europa caiu 3,6%, para 45 342 milhões de dólares (40 809 milhões de euros) e nano Japão desceu 0,26%, para 16 524 milhões de dólares (14 872 milhões de euros).

Nas Américas, as vendas da marca da maçã subiram 3,6%, para 87 592 milhões de dólares (78 835 milhões de euros) e no resto da região Ásia/Pacífico cresceram 1,1%, para 14 132 milhões de dólares (12 720 milhões de euros).

A Apple espera para o último trimestre do ano fiscal, que conclui em finais de Setembro, uma facturação entre 61 mil milhões e 64 mil milhões de dólares (entre 54,9 mil milhões e 57,6 mil milhões de euros).

Ainda sem comentários