Negócios da Dell cresceram a dois dígitos em Portugal

Publicado em 20/06/2019 14:07 em Empresas

O volume de negócios da Dell em Portugal (não divulgado) cresceu a dois dígitos no ano passado e no primeiro trimestre de 2019 e nalgumas áreas a três dígitos, revelaram responsáveis da companhia.

Falando quarta-feira na abertura em Lisboa do Dell Technologies Fórum, Isabel Reis, directora-geral de «Enterprise» da Dell EMC Portugal e Espanha, e Gonçalo Ferreira, director geral de «Commercial» da Dell EMC Portugal, destacaram que o número de trabalhadores da Dell EMC em Portugal cresceu 11% em 2018 e que Portugal é um dos países europeus com maiores quotas de mercado da companhia.

Indicaram que a Dell, que lidera o mercado mundial de estações de trabalho, é número 1 em Portugal com uma quota de 41% naquele segmento, e na área de computadores (PC) registou uma quota de 2,5% do mercado nacional no ano passado, de 6,7% no quarto trimestre e que se situou em 3,2% nos três primeiros meses do ano em curso.

A Dell EMC adiantou que na área de «storage» a companhia continuou a crescer em Portugal, onde atingiu uma quota de mercado de 53%.

Isabel Reis e Gonçalo Ferreira garantiram que a integração da Dell com a EMC foi um êxito em todas as áreas de negócios.

Nigel Moulton, CTO (responsável pela tecnologia) da Divisão de Plataformas e Soluções Convergentes da Dell Technologies, destacou que as tecnologias estão a mudar os modelos de negócio, que a computação é uma indústria madura e que hoje há mais poder de computação em telemóveis que se transportam no bolso do que nos computadores na altura em que o homem foi à Lua.

Indicou que mais de nove em cada 10 empresas (91%) enfrentam barreiras persistentes à transformação digital (de tempo, competências, financiamento e riscos), mas os «digital leaders» (5% das grandes empresas) estão a integrar a transformação digital no ADN do negócio.

Aquele CTO da Dell EMC sustentou que todas as organizações precisam de se digitalizar num mundo «multi-cloud», o que passa pela transformação das tecnologias, da força de trabalho, da segurança e das aplicações, com modernização das infra estruturas, melhoria das competências internas e alterações do modelo de organização da empresa.

Moulton sublinhou que a modificação dos processos de negócio permitirá mais rapidez, melhoria dos resultados do negócio, mudar a organização e criar valor.

Ironizou que a nuvem não é um sítio onde se guardam coisas, é um modelo de negócio e que a abordagem à «cloud» faz parte da consistência do modelo de transformação.

Considerou que o recurso à nuvem permite uma gestão integrada e inteligente, e um aumento da segurança, nomeadamente pela actualização imediata de sistemas operativos e outro software, observando que as tecnologias de segurança assentes na nuvem permitem uma monitorização constante das ameaças, com utilização de inteligência artificial.

Ainda sem comentários