Grupos Renault e FCA estudam fusão paritária

Publicado em 31/05/2019 10:58 em Notícias economia

As administrações dos grupos automóveis Renault e Fiat Chrysler Automobiles (FCA) estão a estudar a possibilidade de uma fusão paritária, em que cada um dos grupos ficaria a deter 50% cada da empresa resultante, anunciou a Renault.

O grupo Renault confirmou no dia 27 de Maio ter recebido uma proposta da FCA nesse sentido e anunciou que a sua administração iria reunir-se para a analisar.

Após analisar os termos da proposta da FCA, a administração da Renault decidiu «pelo interesse de estudar a oportunidade da mesma em função do reforço do aparelho industrial do grupo Renault e geradora de valor para a Aliança».

O grupo FCA vendeu no ano passado quase 4,8 milhões de veículos, facturou 110 mil milhões de euros e investiu 3,5 mil milhões de euros em investigação e desenvolvimento (I&D), tem 102 fábricas e 46 centros de I&D e emprega cerca de 199 mil trabalhadores.

A FCA detém as marcas automóveis Abarth, Alfa Romeo, Chrysler, Dodge, Fiat, Fiat Professional, Lancia, Jeep. Maserati e RAM.

O grupo Renault vendeu em 2018 quase 3,88 milhões de automóveis, dos quais 1,92 milhões na Europa, teve receitas de 57,4 mil milhões de euros, das quais 54,2 mil milhões de euros em vendas de automóveis, emprega 183 mil trabalhadores e detém as marcas Renault, Dacia, RSM – Renault Samsung Motors, Lada e Alpine.

No entanto, a Renault integra a Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, agrupamento que lidera a produção mundial de automóveis, com mais de 10,75 milhões de viaturas vendidas, emprega 450 mil trabalhadores e tem um total de 122 fábricas.

Além das marcas do grupo Renault, tem as marcas Nissan, Datsun, Mitsubishi, Infiniti e Venucia.

A Renault detém 43,4% de participação directa no capital da Nissan e a Nissan tem uma participação de 15% no capital da Renault e de 34% na Mitsubishi.

Ainda sem comentários