PIB acelera ligeiramente no primeiro trimestre

Publicado em 16/05/2019 14:21 em Análise económica

O Produto Interno Bruto (PIB) português cresceu 1,8% homólogos no primeiro trimestre, em ligeira aceleração face ao último trimestre do ano passado, mas ficou claramente abaixo do aumento da riqueza produzida nos três primeiros meses de 2018 (2,3%) e de 2017 (3,1%), revelou o INE.

As primeiras estimativas das Contas Trimestrais, divulgadas quarta-feira, estimam que o contributo da procura interna para o PIB subiu, reflectindo uma aceleração significativa do investimento, mas a contribuição da balança externa líquida de bens e serviços foi mais desfavorável.

Em cadeia (comparando com o trimestre imediatamente anterior) o PIB cresceu 0,5%, em aceleração face aos 0,4% do último trimestre de 2018, segundo o INE.

Como o INE utiliza dados em volume corrigidos de dias úteis e de sazonalidade, é difícil saber como conta o facto de a Páscoa ter sido no primeiro trimestre em 2018 e no e no segundo este ano.

O crescimento homólogo da riqueza produzida em Portugal ficou acima da média de 1,5% dos 20 países da União Europeia (UE) para os quais o Eurostat – Departamento de Estatísticas das Comunidades Europeias publicou dados e da média da zona Euro (1,2%).

Apesar de tal aparentar ser um sinal encorajador, não o é.

Segundo o Eurostat, os crescimentos médios da UE e da Zona Euro foram afectados pelos acréscimos homólogos fracos nas maiores economias europeias, em particular da Itália (apenas 0,1%), Alemanha (0,7%), França e Bélgica (1,1%), Áustria (1,4%) e Reino Unido (1,8%).

Assim, Portugal fica, ex-aequo com o Reino Unido, no sexto pior crescimento entre os 20 países da UR com resultados conhecidos.

A estimativa corrente das Contas Trimestrais do INE, com dados mais desagregados, será publicada a 31 de Maio. Mas mesmo na posse desses dados será muito difícil fazer estimativas com alguma fiabilidade para o conjunto do ano, devido às grandes incertezas geopolíticas e económicas que se perfilam.

Como evoluirá a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China? Como evoluirá a tensão no médio Oriente, nomeadamente com o Irão, e o estreito de Ormuz será ou não fechado, com consequências enormes no preço do petróleo. Como vai terminar as tensões dos Estados Unidos com a Rússia e a China em torno da Venezuela e com que consequências?

Ainda sem comentários