Facturação e lucros da bi4all com forte crescimento

Publicado em 16/04/2019 22:20 em Software

O volume de negócios da tecnológica portuguesa bi4all cresceu 28% no ano passado, para 11,5 milhões de euros, ultrapassando pela primeira vez a fasquia dos 10 milhões de euros, indicou José Oliveira, presidente executivo (CEO) da companhia nacional.

Em encontro com a imprensa, José Oliveira indicou que os lucros da empresa portuguesa especializada em soluções de Data Analytics quase duplicaram em 2018, atingindo 1,5 milhões de euros.

O CEO da bi4all precisou que a facturação no mercado português cresceu 24% no ano passado e representou 52% do volume de negócios global, enquanto o negócio internacional aumentou 36% e representou 48% do total.

A Europa significou 22% do negócio internacional, enquanto a América e o resto do mundo pesaram 78% das vendas ao exterior e 37% do mercado total da empresa, precisou.

José Oliveira revelou que a empresa, que este ano celebra 15 anos, prevê facturar cerca de 16 milhões de euros em 2019 e contratar sete dezenas de novos trabalhadores, a somar aos 196 que empregava no fim de 2018, e pretende chegar às quatro centenas em dois anos.

Adiantou que no escritório do Norte, na Maia, continuam a trabalhar 11 pessoas, mas caso se concretize uma nova oportunidade de negócio no Norte, que se perspectiva, esse número poderá duplicar.

O CEO da empresa revelou que no ano passado adquiriu com financiamento bancário novas instalações em Lisboa, onde todos os trabalhadores se transferiram até à semana passada, com uma área coberta superior a 7 mil metros quadrados, e adiantou que o imóvel vai sofrer obras que deverão estar concluídas em meados de 2020, suportadas por autofinanciamento.

As obras deverão elevar a área disponível para cerca de 10 mil metros quadrados e a «cidade da bi4all» deverá incluir apartamentos para alojar clientes que se desloquem a Lisboa, ginásio, espaço de serviço de refeições, salas de reuniões e eventualmente salas para ceder a parceiros.

José Oliveira revelou que a empresa de Business Intelligence (BI), Business Analytics e Machine Learning lançou este ano uma solução de recursos humanos e vai lançar duas de Machine Learning, com inteligência artificial (AI), outra de Gestão de Conhecimentos e ainda outra de Documents Automation.

Destacou que estas soluções em pacote são mais baratas para os clientes, mas as grandes empresas com maior complexidade, muitas vezes presentes em vários países e com marcas diferentes, precisam de soluções desenhadas mais à medida.

Indicou que o Centro Nearshore da bi4all funciona mais para o negócio internacional e já conta com mais de 100 pessoas, enquanto nas grandes contas de empresas portuguesas os consultores trabalham mais directamente com os clientes.

Quanto à eventualidade de abertura de escritórios no estrangeiro, José Oliveira disse que a perspectiva de um escritório em Espanha caiu, embora a companhia continue a procurar oportunidades em Espanha, onde já tem clientes, e salientou que a abertura de escritórios no estrangeiro depende de um conjunto de condições e não está actualmente em perspectiva.

O CEO da tecnológica indicou que a empresa está em reestruturação, deixou de ser uma pequena empresa, cresceu e criou mecanismos de controlo, num contexto em que a evolução tecnológica é tal que as novas soluções vêm com uma grande dinâmica.

Precisou que perspectiva que 1º0% do tempo de trabalho seja dedicado a investigação e desenvolvimento (I&D).

O presidente da companhia indicou que os sectores com mais peso no negócio são o farmacêutico (37%), a banca e serviços financeiros (12%), os transportes (11%), os seguros (9%), o petróleo e gás (6%) e o retalho e as indústrias transformadoras, ambas com 5%.

José Oliveira adiantou que entre 2015 e 2018, o volume de negócios da bi4all aumentou de 4,6 milhões para 11,5 milhões de euros, com o peso da facturação internacional a passar de 30% para 48%, os lucros passaram de 200 mil euros para 1,5 milhões de euros e o número de trabalhadores de 52 para 196.

Ainda sem comentários