Receitas e lucros da SAP cresceram no ano passado

Publicado em 03/02/2019 14:49 em Software

A multinacional alemã SAP, líder mundial em software de gestão para empresas, anunciou um volume de negócios 24 708 milhões de euros no ano passado, um acréscimo de 5%.

Em comunicado de resultados, a SAP anuncia que teve em 2018 lucros de 4089 milhões de euros, um aumento de 1%, e resultados operacionais de 5705 milhões de euros, em alta de 17%.

A companhia adianta que as receitas de cloud e software atingiram 20 622 milhões de euros no ano passado, um acréscimo homólogo de 5%, e as de subscrições e suporte na cloud 4993 milhões de euros, um aumento de 32%.

O número de trabalhadores da multinacional cresceu 9% em 2018, atingindo 96 498 empregados em 31 de Dezembro passado.

O presidente executivo (CEO) da SAP, Bill McDermott, citado no comunicado, destaca que a SAP, mesmo depois das revisões em alta efectuadas, superou todas as perspectivas e mantém «um histórico de crescimento contínuo e consistente».

Acrescentou que com a aquisição da Qualtrics, a SAP está pronta para revolucionar a indústria de software empresarial na área do «Experience Management».

O volume de negócios da SAP no ano passado atingiu 11 104 milhões de euros na região EMEA (Europa, Médio Oriente e África), dos quais 3 658 milhões de euros na Alemanha, 9713 milhões de euros no continente americano, sendo 7880 milhões de euros nos Estados Unidos, e 3891 milhões de euros na região Ásia/Pacífico.

A SAP prevê para 2019 receitas de software e cloud entre 22,4 mil milhões e 22,7 mil milhões de euros a câmbio constante, com aumento superior a 8%, entre os 6,7 mil milhões e 7,0 mil milhões de euros nas receitas de subscrição e suporte na cloud, um aumento entre 33% e 39%, e resultados operacionais entre 7,7 mil milhões e 8,0 mil milhões de euros, uma subida de 7,5% a 11,5%, em todos os casos a câmbio constante.

Para 2020, a multinacional antecipa receitas totais entre 28,6 mil milhões e 29,2 mil milhões de euros, e num prazo de cinco anos, em 2023, espera um crescimento do volume de negócios para mais de 35 mil milhões de euros, multiplicar por três as receitas de subscrições e suporte na cloud e atingir em crescimento médio anual composto entre 7,5% e 10% nos resultados operacionais.

Ainda sem comentários