Uma em cada quatro empresas da UE usa computação na nuvem

Publicado em 15/12/2018 19:20 em Empresas

Mais de uma em cada quatro (26%) empresas da União Europeia (UE) com 10 ou mais trabalhadores usam serviços de computação na nuvem («cloud computing»), apesar de 97% das empresas consideradas terem acesso à Internet, revelou o Departamento de Estatísticas das Comunidades Europeias (Eurostat).

O estudo do Eurostat revela que em Portugal uma em cada quatro empresas (25%) do universo considerado usa em 2018 computação na nuvem, apenas muito ligeiramente abaixo da média da UE (25%),13% faz análise de grandes volumes de dados («big data»), marginalmente acima da média da UE (12%), e 4% utiliza impressão 3D, situando-se na média da União Europeia.

Mais de metade (56%) das grandes empresas da UE (250 ou mais trabalhadores) utilizam computação na nuvem, enquanto apenas 23% das pequenas empresas (10 a 49 trabalhadores) o fazem.

Entre 2014 e 2018 a utilização de computação na nuvem cresceu 21 pontos percentuais (de 35% para 56%)nas grandes empresas, nas médias (59 a 249 trabalhadores) aumentou 12 pontos e nas pequenas empresas cresceu 6 pontos percentuais, indica o Eurostat.

As empresas de tecnologias da informação e comunicação (TIC) são as que mais recorrem à nuvem, com quase dois terços (64%) a utilizar esses serviços.

O inquérito não abrangeu as microempresas (até nove pessoas ao serviço).

Na UE, os países com maior percentagem de empresas (excepto micro) a utilizar serviços na nuvem são nórdicos, com a Finlândia a liderar (65%), seguindo-se a Suécia (57%) e a Dinamarca 56%. Em quarto lugar surge a Holanda, com 48%.

O Eurostat destaca que, das empresas da UE que utilizam a nuvem, mais de dois terços (68%) usam a «cloud» para armazenar ficheiros, mais de metade (53%) para software do escritório e quase metade (48%) para alojarem as suas bases de dados.

O inquérito revela que 38% usam a nuvem para aceder a aplicações de software, como financeiras ou de contabilidade e 29% para gestão da informação dos seus clientes, como acesso aplicações CRM – gestão de relações com clientes.

Quase um quarto das empresas (excepto micro) da UE que utilizam serviços na nuvem usam plataformas de «cloud» de alto desempenho para correrem as suas aplicações de negócio, segundo o Eurostat.

Os dados comunitários indicam que apenas 11% das empresas utilizam cloud privada (com uma infra-estrutura dedicada a essa empresa) enquanto 18% usam cloud pública, em que a plataforma é utilizada por vários clientes, embora a informação de cada empresa à partida seja só acessível a essa empresa. A soma das percentagens indicia que haverá cerca de 3% das empresas da UE que têm cloud privada mas também usam cloud pública.

Quanto à utilização de análise de grandes volumes de dados («big data») por 12% das empresas europeias (excepto microempresas), Malta lidera (24% das empresas) seguida pela Holanda (22%) e Bélgica e Irlanda, ambas com 20%.

Quanto à origem dos grandes volumes de dados analisados pelas empresas, surgem em primeiro lugar as informações de dispositivos portáteis que utilizam redes móveis, ligações sem fios ou sistemas GPS (49% dos dados), surgindo em segundo lugar os dados gerados nos media ou redes sociais (45%), dados próprios das empresas provenientes de dispositivos inteligentes (29%), enquanto 26 por cento das empresas analisaram dados provenientes de outras fontes.

Em relação à impressão 3D, utilizada por 4% das empresas da UE com 10 ou mais trabalhadores, a Finlândia lidera com 7%, seguida da Bélgica, Dinamarca, Malta e Reino Unido com 6%.

O Eurostat indica que 57% das empresas que referiram a utilização de impressão 3D a usaram para produzir protótipos ou maquetes destinadas a uso interno, quase um terço (32%) para produzir protótipos ou maquetes para vendas, 27% para fabricar bens utilizados nos processos de produção da empresa e 17% para venda de bens que não protótipos ou maquetes.

Ainda sem comentários