Capgemini Portugal passou a reportar directamente à casa mãe

Publicado em 05/12/2018 01:16 em Geral

A Capgemini Portugal tem actualmente uma nova Administradora delegada, Cristina Rodrigues, e passou a ser independente e a reportar directamente à sede da multinacional, revelaram hoje responsáveis da filial portuguesa.

Em encontro com a imprensa, Cristina Rodrigues revelou que anteriormente a Capgemini Portugal estava integrada numa estrutura ibérica e adiantou que a filial portuguesa passou a estar presente em reuniões internacionais do grupo em que antes não participava.

Destacou que a filial portuguesa da consultora passou a ser Centro de Competência exclusivo na área de Salesforce, da Business Unit Europe Cluster da Capgemini desde a entrada em funcionamento da transformação organizacional do grupo, a 1 de Julho de 2018.

Observou que tudo o que Capgemini faz na área de Salesforce está a cargo de Portugal e adiantou que há também um «pipeline» de especialistas da Capgemini no estrangeiro que apoiam a filial nacional naquilo em que têm maiores competências.

Cristina Rodrigues revelou que o desafio lançado à filial portuguesa é duplicar a facturação até 2022, «que é um desafio brutal».

Destacou que a filial portuguesa é uma das unidades mais rentáveis da Capgemini e que a sua rentabilidade vai crescer 68% este ano, apesar do investimento em pessoas e em tecnologia.

Indicou que a Capgemini tem dois escritórios em Portugal, a sede em Lisboa e o Centro de competências criado em 2014 em Évora, que tem 120 pessoas e que em Abril comprou instalações com capacidade para 220 trabalhadores.

A nova administradora-delegada salientou que a companhia está a ter cada vez mais ligações e ligações mais fortes com os parceiros e revelou que a Capgemini Portugal mudou um bocadinho a sua postura, já que não «vai a todas», mas apenas àquilo que sabe fazer bem.

Cristina Rodrigues adiantou que uma grande percentagem dos clientes que começaram com a Capgemini Portugal em 1997continuam hoje com a empresa e que mais de 90% dos clientes com Meta4 têm soluções da Capgemini.

A administradora-delegada adiantou que o sector português de tecnologias da informação (TI) fez um forte investimento e deverá crescer 7% em 2019.

Sublinhou que a filial portuguesa apresenta um forte crescimento na área da energia e utilities e deverá facturar 30 milhões de euros este ano, com uma margem operacional de 9%.

Luís Baptista, director da Capgemini Portugal, e Cristina Rodrigues indicaram que a filial tinha 382 trabalhadores em Dezembro de 2017 e tem actualmente cerca de 520, com 32% de mulheres e 68% de homens, e deverá continuar a crescer. Precisaram que no recrutamento cerca de 30% dos novos trabalhadores são pessoas com experiência e 70% recém-licenciados.

Cristina Rodrigues afirmou que vê pessoalmente todas as propostas de recrutamento, porque a pior coisa que se pode fazer é contratar pessoas por valores superiores aos que auferem as pessoas que já estão na empresa, observando que «mais vale subcontratar», e revelou que alguns clientes fazem depender o contrato da admissão de determinada pessoa e a Capgemini já tem perdido clientes por recusar isso.

A administradora delegada indicou que há uma evolução na cultura da filial portuguesa, que entre outros aspectos passa pela dispensa de gravata, por um debate com os trabalhadores sobre as opções de horários, por haver pessoas a trabalharem a partir de casa.

A Capgemini é uma multinacional de consultoria especializada em tecnologia, que emprega 200 mil trabalhadores em mais de 40 países e facturou no ano passado 12,8 mil milhões de euros.

Ainda sem comentários