Capgemini Portugal inaugurou novas instalações em Évora

Publicado em 23/04/2018 14:39 em Empresas

A Capgemini Portugal inaugurou novas instalações com capacidade para duas centenas de postos de trabalho para o seu Centro de Excelência em Évora, inaugurado em 2014, na altura com três dezenas de consultores.

Em declarações hoje ao Falar de Economia e Tecnologia, Paulo Morgado, vice presidente executivo do grupo Capgemini, afirmou que trabalham no centro cerca de 70 consultores e assegurou que o aumento desse número só depende de encontrar pessoas com as qualificações requeridas e disponíveis para trabalharem em Évora.

Garantiu que se amanhã conseguissem recrutar 100 pessoas nas condições requeridas, recrutavam amanhã, e destacou que a Capgemini não tem problemas de procura por parte de clientes, mas apenas de encontrar os recursos adequados e disponíveis.

Paulo Morgado afirmou que o objectivo é atingir os 200 postos de trabalho tão depressa quanto possível.

O vice-presidente executivo da Capgemini indicou que os 70 trabalhadores do Centro de Excelência somam 220 certificações nas tecnologias com as quais a Capgemini trabalha e servem mais de duas dezenas de clientes internacionais de seis/sete países.

A Capgemini Portugal revela que entre os clientes do Centro de Excelência de Évora se contam as multinacionais Solvay, Linde, o grupo Auchan, a L’Oreal, a Coca Cola e o Ikea.

O Centro de Excelência de Évora da multinacional de consultoria e serviços de tecnologia visa apoiar clientes de língua portuguesa, inglesa, espanhola, francesa e alemã.

Paulo Morgado acredita que vai ter «um impacto muito positivo no desenvolvimento de competências tecnológicas» e vai contribuir para aumentar a qualificação de recursos de tecnologias de informação em Portugal.

Indicou que o centro em Évora irá criar e desenvolver soluções inovadoras e diferenciadoras que respondam às necessidades concretas dos clientes da multinacional de consultoria, especializada em tecnologias da informação, que emprega mais de 200 mil trabalhadores em mais de quatro dezenas de países.

Ainda sem comentários