DECO e Google promovem Internet segura

Publicado em 17/11/2017 00:31 em Internet

A DECO Proteste e a Google apresentaram hoje em Lisboa uma iniciativa em parceria para promoverem uma utilização mais segura da Internet e a protecção da privacidade dos utilizadores e contribuírem para compras e transacções online mais seguras.

Na apresentação aos jornalistas, os responsáveis da organização portuguesa de defesa do consumidor e a multinacional Internet anunciaram o lançamento de um sítio Internet, dentro do portal da DECO (www.deco.pt), denominado Net Viva e Segura, a realização de conferências NETtalks, em Lisboa, Coimbra, Porto e Évora e um concurso para jovens portugueses realizarem um vídeo sobre o que aprenderam naquelas conferências.

Indicaram, que os melhores vídeos serão premiados.

Tito Rodrigues, jurista da DECO, indicou que as conferências NETtalk pretendem ser um espaço de debate e apreensão de conhecimentos e de alerta para os perigos da Internet.

Indicou que os vídeos sobre como aceder à Internet em segurança produzidos por jovens serão apreciados até 20 de Março de 2018 e os vencedores do concurso serão conhecidos no próximo dia 5 de Abril.

Francisco Ruiz Anton, director de Políticas Públicas da Google, destacou que Portugal é o terceiro país europeu, depois de Itália e Espanha, onde a companhia faz parcerias com organizações de defesa dos consumidores para reflectir sobre comportamentos seguros e privacidade dos dados na Web.

Francisco Ruiz salientou que 67% da população portuguesa tem acesso à Internet, mas um barómetro da União Europeia (UE) revela que 55% dos utilizadores nacionais não estão conscientes dos riscos da Internet e da necessidade de adoptarem medidas de precaução.

Observou que três quartos dos internautas portugueses que já tiveram um incidente de segurança indicam que depois disso não tomaram medidas para se protegerem.

O director da Google indicou que a parceria com a DECO visa consciencializar os utilizadores portugueses de Internet para a necessidade de adoptarem medidas para garantirem a sua segurança e a privacidade dos seus dados pessoais.

Indicou que o sítio Net Viva e Segura, alojado no portal da DECO, apresenta conselhos sobre como proteger as ligações Internet, os dispositivos, as contas e a privacidade e dá indicações sobre como fazer compras seguras na Internet e sobre protecção online das crianças.

Pedro Veiga, coordenador do Centro Nacional de Cibersegurança, afirmou que a iniciativa da DECO e da Google é importante para a sociedade portuguesa se preparar para o mundo digital.

A cibersegurança é crítica para a sociedade e para o crescimento do mercado digital, que passa pela confiança dos utilizadores, garantiu o líder do centro de cibersegurança português.

Pedro Veiga salientou que o mundo está a mudar para o digital e isso traz oportunidades mas também desafios.

Assinalou que a Comissão Europeia produziu no último ano legislação sobre segurança das redes e sistemas de informação e aprovou o regulamento [de aplicação directa, sem precisar de ser transposto para as legislações nacionais] sobre protecção de dados.

Pedro Veiga destacou que o cibercrime é uma indústria, tal como são o tráfico de droga ou de armas, e que as notícias falsas («fake news») são ataques terríveis às democracias, particularmente em períodos eleitorais.

Afirmou que não são só os jovens a ter problemas com a privacidade na Internet, são também adultos e inclusive dirigentes de topo da administração pública, que não estão motivados para os problemas da cibersegurança.

Sustentou que a transformação do mundo com o digital implica uma mudança de mentalidades.

O sítio Net Viva e Segura dá indicações sobre como encriptar routers e dispositivos, encriptar ligações, sobre utilização de redes WiFi públicas, conselhos com cuidados a ter com compras e transacções online, alertas sobre a privacidade e a quantidade de dados que se colocam na Internet ou redes sociais - quanto mais dados mais vulneráveis ficam os utilizadores – alertas sobre a partilha de localização, a necessidade de manter dispositivos e software actualizados e cuidados com os perigos Internet para as crianças.

Ainda sem comentários