Brad Smith propõe Convenção de Genebra Digital

Publicado em 08/11/2017 23:30 em Web Summit

O presidente da Microsoft, Brad Smith, propôs hoje na Web Summit uma Convenção de Genebra digital que proteja Estados, empresas e cidadãos da ciberguerra.

Numa intervenção na Web Summit, o presidente da Microsoft defendeu que a cibersegurança deve ser a grande causa dos tempos de hoje, não só para construir um ambiente Internet mas seguro mas também um mundo melhor.

Brad Smith afirmou que no mundo digital em que vivemos tudo é digital o que põe a questão de como é que protegemos o futuro de armas invisíveis, que não provocam mortes, mas que podem afectar bancos, aeroportos, instituições, empresas, cidadãos, etc em muitos pontos ao mesmo tempo.

Disse que algumas das ciberarmas mais sofisticadas vêm de agências governamentais, incluindo da agência norte-americana NSA, e questionou se alguma vez na história se tinha conseguido fazer em tantos sítios tantos ataques ao mesmo tempo.

Recordou que o grupo de hackers Strontium, visando a NATO e governos, afectou sistemas informáticos nos cinco continentes.

O presidente da Microsoft assinalou que hoje muitos sistemas fundamentais (de fornecimento de electricidade, sistemas de transportes, aeroportos, por exemplo), estão ligados à Internet.

Brad Smith indicou que a Microsoft enfrenta desafios de ataques cada vez mais sofisticados e tem de usar de forma apropriada todas as ferramentas de que dispõe, o que está a fazer.

Salientou que as grandes empresas de tecnologia fizeram um acordo para não ajudar governos a atacar clientes em nenhum lado, para proteger os clientes em toda a parte e reforçar a resposta aos ciberataques.

Ainda sem comentários