Em 2020 um terço smartphones terão inteligência artificial

Em 2020 um terço smartphones terão inteligência artificialPublicado em 31/10/2017 00:59 em Geral

A consultora e analista de mercados Counterpoint Research prevê que em 2020 mais de um em cada três smartphones terá capacidades nativas de inteligência artificial (AI) e Machine Learning.

Shobhit Srivastava, analista da Counterpoint, antecipa que em 2010 serão vendidos mais de 500 milhões de smartphones com capacidades de AI de origem ao nível dos chipsets.

A Counterpoint estima que este ano 3% dos telemóveis disporão de capacidades de AI integradas, mas em 2019 já virão nativamente em mais de um quarto dos smartphones produzidos e em 2020 em mais de um terço.

Shobhit Srivastava indica que a Apple, com o seu Bionic System on Chip (SoC) a chegar a todos os seus novos modelos no próximo par de anos, deverá liderar a adopção de capacidades de AI nativas nos smartphones.

Observa que a Huawei, com o seu HiSilicon Kirin 970 SoC, lançado em Setembro, e com a sua aplicação no Huawei Mate 10 series, apresentado este mês, é o segundo a chegar ao mercado com smartphones dotados de capacidades de AI.

Srivastava assinala, contudo, que a Qualcomm chegará nos próximos meses ao mercado com um SoC que poderá chegar à liderança do mercado de processadores com AI.

Acrescenta que o Machine Learning e a AI ainda não fizeram o seu caminho nas aplicações para smartphones devido às limitadas capacidades de processamento dos processadores dos smartphones, porque as aplicações de AI requerem grandes quantidades de processamento de dados mesmo para pequenas tarefas.

Srivastava observa que enviar e receber essa informação de centros de dados baseados na nuvem é potencialmente difícil devido à demora, ao volume de dados e à necessidade de uma ligação sólida, que nem sempre está disponível.

Sublinha que a resposta é ter capacidades de AI internas nos dispositivos.

Jeff Fieldhack, director da Counterpoint Research, destaca que o «driver» inicial para a rápida adopção de inteligência artificial nos smartphones é o uso da tecnologia de reconhecimento facial integrada no recentemente lançado iPhone X e se outros fabricantes quiserem fornecer essa tecnologia precisarão de dispor de capacidades de AI semelhantes.

Peter Richardson, também director da Counterpoint, afirma que os smartphones com SoC com capacidades de AI avançadas serão capazes de desempenhar uma variedade de tarefas, como processar linguagens naturais, incluindo tradução em tempo real, ou ajudando os utilizadores a tirar melhores fotografias, com identificação dos objectos e ajuste da configuração das câmaras.

Para Richardson, o Machine Learning permitirá aos smartphones compreender o comportamento dos utilizadores para identificar se o telefone está a ser indevidamente utilizado ou analisar o correio electrónico e aplicações para evitar coisas como phishing.

Adianta que há também um crescente potencial de utilização de dispositivos com capacidades de inteligência artificial em áreas como os cuidados de saúde.

Ainda sem comentários