Vendas smartphones caíram 1,3% segundo trimestre 2017

Vendas smartphones caíram 1,3% segundo trimestre 2017Publicado em 09/08/2017 00:16 em Indústria

A consultora e analista de mercados IDC estima que as vendas mundiais de smartphones caíram 1,3% homólogos no segundo trimestre de 2017, para 341,6 milhões de unidades.

O relatório da IDC faz notar que, apesar da ligeira redução global do mercado, os fabricantes líderes cresceram no segundo trimestre e revela que as cinco principais marcas passaram de uma quota que somava 54,1% no segundo trimestre do ano passado para 61% em período homólogo de 2017, com destaque para os fabricantes chineses que ocupam da terceira à quinta posição.

Ryan Reith, vice-presidente da IDC, afirma que a maior mudança no segundo trimestre foi a dimensão da queda de vendas dos fabricantes que não integram o top 5, que viram a produção reduzir-se 16,0%.

A IDC prevê que a segunda metade do ano em curso traga um crescimento das vendas mundiais, permitindo que 2017 seja um ano de recuperação da produção de smartphones.

Observa que em Agosto a Samsung deverá lançar o novo Note 8 e em Setembro a Apple deverá apresentar os novos modelos do iPhone.

A IDC salienta que o lançamento dos novos Samsung Galaxy S8 e S8+ tiveram um papel importante no segundo trimestre e permitiram ao líder sul-coreano crescer 1,4% homólogos e aumentar a sua quota para 23,3% do mercado mundial, com uma produção de 79,8 milhões de dispositivos.

A Apple vendeu 41,0 milhões de iPhones, um aumento de 1,5%, manteve o segundo lugar e o seu peso no mercado global aumentou para 12,0%, enquanto a Huawei segurou a terceira posição, com vendas de 38,5 milhões de unidades (mais 19,6%) e uma quota de 11,3%.

A IDC destaca que a Huawei teve forte crescimento na Grande China e em mercados europeus desenvolvidos e que os seus smartphones de gama média e alta continuaram a ter sucesso, particularmente o topo de gama P10.

Em quarto lugar surge a também chinesa OPPO, que vendeu 27,8 milhões de unidades (mais 22,4%) e atingiu uma quota de 8,1%, mantendo a sua expansão internacional e conseguindo uma posição de liderança nalguns países do sudeste asiático.

A Xiaomi registou um impressionante crescimento de 58,9%, com vendas de 21,2 milhões de smartphones (6,2% do mercado mundial) e ficou ligeiramente à frente da também chinesa também chinesa Xiaomi. A marca teve uma presença muito agressiva no mercado da Índia, indica a IDC.

Ainda sem comentários