Vendas Nokia diminuíram no primeiro semestre

Publicado em 31/07/2017 00:13 em Indústria

As vendas da Nokia reduziram-se ligeiramente no primeiro semestre de 2017, com uma quebra de 1%, para 10 996 milhões de euros, apesar de no segundo trimestre terem já apresentado uma evolução positiva de 1%, revelou a companhia.

Em comunicado de resultados, a multinacional finlandesa produtora de equipamentos e soluções de telecomunicações revela que os seus prejuízos se reduziram para 868 milhões de euros na primeira metade do ano, que compara com 1437 milhões de euros no primeiro semestre do ano passado (descida de 40%).

Os prejuízos operacionais da Nokia desagravaram-se significativamente no primeiro semestre, para um valor negativo de 173 milhões de euros, 8,5 vezes menos do que em período homólogo de 2016, adianta a empresa.

O negócio de redes de telecomunicações, a área de actividade mais importante da Nokia, sofreu uma redução de 5% nas receitas, para 9873 milhões de euros.

A facturação da Nokia Technologies, que faz o desenvolvimento de soluções e detém a carteira de patentes e propriedade intelectual da multinacional, viu a sua facturação crescer 58%, para 626 milhões de euros, na primeira metade do ano (90% no segundo trimestre), de acordo com a multinacional.

A Nokia investiu em investigação e desenvolvimento (I&D) 916 milhões de euros no segundo trimestre (menos 3% homólogos) e 1860 milhões de euros na primeira metade de 2017

A Nokia recorda que a partir de Abril de 2017 implementou mudanças na sua estrutura de organização e, em resultado disso, passou a apresentar uma estrutura de reporte com três segmentos e cinco áreas de negócio.

Rajeev Suri, presidente e CEO da Nokia, citado no comunicado, destaca a evolução dos negócios da companhia e sublinha que a empresa está próxima da estabilização das receitas em termos anuais.

Garante que a Nokia fez no segundo trimestre progressos na execução dos quatro pilares da sua estratégia e observa que o mercado em que actua deverá ser em 2017 «mais desafiante» do que o inicialmente previsto, com as vendas globais a caírem entre 3% a 5%.

Prevê que a área de redes de telecomunicações da Nokia tenha um comportamento em linha com o do mercado e que a tecnologia de quinta geração móvel (5G) tenha desenvolvimentos significativos a partir de 2019.

No segundo trimestre, por região, a Nokia indica que as suas vendas caíram 12% na América do Norte, para 1 498 milhões de euros, aumentaram 12% na Europa, para 1091 milhões de euros, recuaram 2% na Ásia/Pacífico, para 1026 milhões de euros, cresceram 13% na grande China, para 627 milhões de euros, subiram 7% no Médio Oriente e África, para 431 milhões de euros, e progrediram 31% na América Latina, para 298 milhões de euros.

Ainda sem comentários