Volume negócios da Oracle cresceu 2% no exercício 2017

Publicado em 23/06/2017 19:44 em Empresas

A multinacional de tecnologias da informação (TI) Oracle anunciou que o seu volume de negócios cresceu 2%, para 37,7 mil milhões de dólares (33,7 mil milhões de euros) no ano fiscal de 2017, terminado a 31 de Maio.

Em comunicado de resultados, a Oracle revela que teve no ano fiscal 2017 lucros de 9,3 mil milhões de dólares (8,3 mil milhões de euros) e resultados operacionais de 12,7 mil milhões de dólares (11,3 mil milhões de euros).

As receitas de serviços na cloud (nuvem) aumentaram 60%, para 4,6 mil milhões de dólares (4,1 mil milhões de euros) no ano fiscal 2017 e representaram mais de 15% das receitas totais de software (cloud e tradicional), que ascenderam a 30,4 mil milhões de dólares (27,0 mil milhões de euros), um acréscimo de 4%, segundo os dados da companhia.

A Oracle indica que no ano fiscal em análise as receitas cloud de SaaS (Software como um Serviço) cresceram 61% homólogos, para 3,2 mil milhões de dólares (2,8 mil milhões de euros), e as receitas cloud de PaaS (Plataforma como um Serviço) e IaaS (Infra-estruturas como um Serviço) subiram 60%, para 1,4 mil milhões de dólares (1,25 mil milhões de euros).

No último trimestre do exercício que terminou a 31 de Maio, as receitas da multinacional cresceram 3%, para 10,9 mil milhões de dólares (9,7 mil milhões de euros), os resultados operacionais atingiram 4,1 mil milhões de dólares (3,7 mil milhões de euros), um aumento homólogo de 3% e os lucros situaram-se em 3,2 mil milhões de dólares (2,9 mil milhões de euros).

O CEO da Oracle, Mark Hurd, citado no comunicado, destacou que a Oracle ultrapassou nos três últimos meses do exercício 2017 os mil milhões de dólares (890 milhões de euros) em receitas de cloud SaaS, o que acontece pela primeira vez num trimestre.

Larry Ellison, presidente e CTO (executivo responsável pela área tecnológica) da Oracle, destacou que o operador AT&T acordou transferir as suas bases de dados Oracle e aplicações associadas, com petabytes de dados, para a cloud da Oracle, prevendo que no próximo ano fiscal mais grandes clientes da multinacional façam idêntica opção.

Ainda sem comentários