Ataque internacional de ramsonware afecta vários países

Publicado em 12/05/2017 18:50 em Destaques

A comunicação social dá conta de um grande ataque informático internacional de ransomware que afectou importantes organizações de vários países.

Algumas organizações alegadamente afectadas já o desmentiram, ainda que algumas delas indiquem que desligaram os seus sistemas informáticos mas apenas como medida de prevenção.

O Falar de Tecnologia está com dificuldade em contactar os porta-vozes de algumas empresas citadas mas já obteve desmentidos formais do Banco Santander Totta, Vodafone e EDP.

O Santander Totta garantiu que não foi afectado, tal como não foi nenhum banco do grupo Santander, que está, no entanto, atento a esta situação.

A Vodafone Portugal afirma que não foi afectada, desmentindo também que a Vodafone Espanha tenho sido vítima, e garante que os procedimentos de segurança estão a funcionar de forma perfeitamente normal.

A PT/MEO, outro operador alegadamente atingido, em nota oficial assegura que «a rede e os serviços de comunicações fixo, móvel, Internet e TV prestados pelo MEO não foram afectados».

Indica que foi detectado um ataque internacional com impacto em vários países, inclusivamente Portugal, afectando diferentes empresas de vários sectores.

«Na PT, todas as equipas técnicas estão a assumir as diligências necessárias para resolver a situação, tendo sido activados todos os planos de segurança desenhados para o efeito, em colaboração com as entidades competentes», acrescenta a nota oficial.

O Expresso online afirma que a PT pediu aos trabalhadores para desligarem os computadores e retirarem os respectivos cabos de rede.

Também a EDP emitiu uma nota oficial em que afirma que «em coordenação com a Polícia Judiciária e o CERT.pt decidiu cortar os acessos Internet na sua rede, como medida preventiva, não tendo ainda registo de incidentes no parque informático da sua organização».

O Falar de Economia e Tecnologia tentou insistentemente contactar a responsável de comunicação da NOS, mas os telefonemas não foram atendidos e não obteve resposta ao SMS enviado.

Não oficialmente o Falar de Economia e Tecnologia obteve a informação de que a NOS não foi afectada mas desencadeou mecanismos de segurança.

A nível internacional, o CCN-CERT espanhol, organismo especializado dos serviços de informação, alerta para um ataque massivo de ransomware a várias organizações, que afectou sistemas Windows cifrando todos os ficheiros e infectando todos os sistemas Windows da rede.

Indica que o Ransomware é uma versão do WannaCry.

O jornal El Pais informa que a equipa de segurança do operador de comunicações Telefonica emitiu uma comunicação interna em que diz que foi detectado a entrada de um malware na rede do operador que «afecta os dados e ficheiros» e deu instruções a todos os trabalhadores para desligarem todos os computadores.

O operador garante que o ataque não tem consequências para os serviços de televisão Internet e telefónico fornecidos pela Telefonica, segundo o periódico.

O ministério da Indústria espanhol reconheceu em comunicado que o ataque afectou equipamentos informáticos de trabalhadores de várias companhias, mas não afecta a prestação de serviços nem a operação das redes, segundo o El Pais

O jornal adianta que o Instituto Nacional de Cibersegurança de Espanha (Incibe) indica que se trata de uma ataque do tipo ransonware, que bloqueia o acesso aos ficheiros do sistema afectado e pede um resgate, mas diz que não compromete a segurança dos dados nem se trata de uma fuga de dados.

A Vodafone espanhola, a consultora KPMG, o BBVA e o Santander, desmentiram ter sido afectados pelo ataque.

O jornal The Guardian revelou que vários hospitais do Serviço Nacional de Saúde (NHS) britânicos foram afectados por este ataque internacional, o que foi confirmado pelo próprio NHS, e objecto de mensagens colocados nas redes sociais por médicos e outros trabalhadores dos serviços de saúde.

Ainda sem comentários