Vendas Nokia baixaram I trimestre e prejuízos foram menores

Publicado em 28/04/2017 01:15 em Indústria

As vendas da multinacional fabricante de telecomunicações Nokia caíram 2% homólogos no primeiro trimestre de 2017, para 5378 milhões de euros, revelou a companhia.

Em comunicado de resultados, a Nokia indica que teve prejuízos de 435 milhões de euros no primeiro trimestre, menores do que os resultados negativos de 712 milhões de euros verificados em igual período do ano passado.

Os rejuízos operacionais situaram-se em 127 milhões de euros, uma forte melhoria face aos resultados operacionais negativos de 712 milhões de euros nos três primeiros meses do ano passado.

A área de produção de equipamentos e soluções para redes de telecomunicações (Nokia Networks) teve uma redução de vendas de 6%, enquanto a Nokia Technologies, que detém as patentes e os direitos da marca Nokia, teve um crescimento de 25% no seu volume de negócios.

Rajeev Suri, presidente e CEO da Nokia, citado no comunicado,considera que o primeiro trimestre revelou uma melhoria do negócio da companhia, apesar de se manterem alguns desafios.

Adianta que nas redes móveis ser verificopu uma estabilização do negócio, com um interesse robusto do mercado nas soluções LTE (quarta geração móvel) da Nokia, que terminou Março com 145 clientes de tecnologia LTE Advanced.

Suri destaca que nas redes fixas, que tiveram um excelente 2016, o negócio foi afectado pela chegada ao fim de vários grandes projectos.

O Presidente e CEO da Nokia manifestou-se optimista quanto ao comportamento do negócio da Nokia no conjunto de 2017 e manteve as expectativasde negócio anteriormente anunciadas para o ano em curso.

Por região, em dados não IFRS, no primeiro trimestre as vendas da Nokia cresceram 7% na América do Norte, para 1694 milhões de euros, e 2% no Médio Oriente e África, para 403 milhões de euros, mas caíram 33% na América Latina, para 227 milhões de euros, baixaram 19% na Europa, para 976 milhões de euros, caíram 5% na Ásia/Pacífico, para 1046 milhões de euros 3 reduziram-se 3% na China, para 556 milhões de euros.

O número de trabalhadores da Nokia baixou 3%, para 101 083, com descidas em todas as regiões com excepção da Europa, onde o emprego na companhia cresceu 1%, para 38 482 trabalhadores.

Ainda sem comentários