Ter palavras passe fracas é como deixar a porta casa aberta

Publicado em 01/03/2017 01:11 em Segurança Informática

A firma de segurança informática Kaspersky defende que ter palavras passe fracas é tão arriscado como deixar a porta de casa aberta.

Em comunicado, a Kaspersky garante que apenas menos de uma em cada três pessoas (30%) utiliza palavras passe diferentes para cada conta e que uma em cada dez utiliza sempre a mesma palavra passe em todas as suas contas, o que significa que se uma delas for descoberta todas as outras contas podem ser pirateadas.

Acrescenta que uma em cada cinco pessoas escreve as palavras passe num caderno para não se esquecer delas.

A companhia de segurança informática russa destaca que as palavras passe fracas são mais fáceis de piratear e indica que a maioria das pessoas guarda os seus códigos de segurança de forma pouco segura, o que faz perder sentido à opção de ter palavras passe.

Alfonso Ramirez, director-geral da Kaspersky na península ibérica, citado no comunicado, afirma que muitos não se apercebem que estão a cair nos erros mais elementares de gestão de palavras passe e arriscam-se a expor os seus emails, informação pessoal e dados bancários.

O estudo da empresa russa revela que quase uma em cada cinco pessoas (18%) foi vítima de tentativas de ataque às suas contas bancárias.

A Kaspersky sublinha que só menos de metade dos entrevistados (47%) disse combinar letras maiúsculas com minúsculas nas palavras passe e menos de dois terços (64%) combinam letras e números, apesar de mais de metade dos utilizadores terem consciência da necessidade de palavras passe fortes nas contas bancárias (51%) e de 39% considerarem o mesmo para os serviços de email e 37% para as contas em lojas online.

O inquérito revelou que 28% dos entrevistados partilha as palavras passe com familiares e 11% com amigos, tornando maior o risco de serem reveladas, mesmo involuntariamente, segundo a empresa russa.

Ainda sem comentários