Mais metade utilizadores smartphones não compram apps

Mais metade utilizadores smartphones não compram appsPublicado em 23/02/2017 02:22 em Geral

Mais de metade dos utilizadores de smartphones não compram aplicações, o que não impede que as receitas das vendas de apps móveis continuem, a aumentar, segundo a consultora e analista de mercados Gartner.

O estudo da Gartner, que parte de quase 3 mil respostas a uma sondagem, revela que mais de 50% não aplicações no último trimestre de 2016 e os que não fizeram despesas dentro das aplicações também excedem ligeiramente metade dos utilizadores.

No entanto, os que compraram aplicações móveis em 2016 aumentaram 4 pontos percentuais face a 2015, segundo Stéphanie Baghdassarian, directora da Gartner.

Adianta que em 2016 o gasto médio na compra de aplicações foi de 7,67 dólares (7,28 euros), enquanto as compras dentro das aplicações atingiram uma despesa média de 11,59 dólares (11,0 euros).

A compra de aplicações está normalmente associada a pequenos valores e os utilizadores que gastaram mais de 15 dólares no último trimestre estão normalmente associados a compras dentro das aplicações móveis, em grande medida porque as aplicações pagas têm geralmente um preço de 1,99 dólares ou inferior, enquanto a activação de compras dentro da aplicação significa normalmente que os utilizadores encontraram valor na aplicação e estão dispostos a gastar mais, indica a directora da Gartner.

A consultora salienta que a idade e o género influenciam o nível de despesas com aplicações para dispositivos móveis.

Os utilizadores entre os 25 e os 34 anos são os maiores gastadores em aplicações, com uma despesa média trimestral de 13,40 dólares em downloads de apps e de 19 dólares em compras dentro das aplicações, com os da faixa dos 35 aos 44 anos a revelarem-se como os segundos em despesas, de acordo com a Gartner.

A directora da analista adianta que, com o aumento da idade, os utilizadores tendem a gastar menos com compras dentro da aplicação em relação à despesa na compra de aplicações.

Observa que na faixa etária dos 18 aos 24 anos a despesa média trimestral com compra de aplicações é de 3,80 dólares e a de compras dentro das apps eleva-se para 12,10 dólares.

O inquérito também revela significativas diferenças nos níveis de despesa e uso entre homens e mulheres, tanto na compra de apps como nas despesas dentro das aplicações. As mulheres gastam menos dinheiro no global em apps móveis e compram menos aplicações, mas são mais susceptíveis de gastarem dinheiro dentro das aplicações depois de as terem experimentado.

A directora da Gartner destaca que os resultados do inquérito, que apontam para uma maior despesa dentro das aplicações, revelam que os líderes de marketing de produto devem investir no modelo de aplicações gratuitas ou de baixo custo com compras dentro das aplicações.

A flexibilidade do modelo de negócio não é o único requisito para uma forte experiência de utilizador e as marcas devem procurar novas formas de entregar conteúdos aos utilizadores, porque as aplicações móveis nem sempre apresentam a melhor interface de utilizador, adianta a consultora.

Ainda sem comentários