Receitas da Samsung cresceram 0,6% em 2016, lucros 10,7%

Receitas da Samsung cresceram 0,6% em 2016, lucros 10,7%Publicado em 26/01/2017 23:44 em Indústria

A Samsung Electronics anunciou que o seu volume de negócios cresceu 0,6% no ano passado, para 201,87 biliões de won (161,37 mil milhões de euros).

Em comunicado de resultados, aquela multinacional sul-coreana de electrónica revelou que os seus resultados operacionais aumentaram 10,7% em 2016 e atingiram 29,24 biliões de won (23,37 mil milhões de euros).

A companhia revela que as despesas de capital (CAPEX) se situaram no ano passado em 25,5 biliões de won (20,38 mil milhões de euros), abaixo da previsão inicial de 27 biliões de Won de despesas de investimento.

A Samsung destaca que conseguiu resultados sólidos em 2016 apesar da descontinuação do Galaxy Note 7 na segunda metade do ano, como resultado de esforços continuados nos últimos dois/três anos para reforçar a competitividade do seu negócio, focando-se em produtos de maior valor acrescentado e estreitando o défice tecnológico dos seus produtos de memórias, bem como a realização de investimentos estratégicos nas tecnologias V-NAND e OLED.

A companhia indica que para 2017 espera uma sólida procura nos semicondutores e nos OLED flexíveis e painéis LCD de grande formato e melhorar a rentabilidade nas memórias, incluindo nas memórias flash NAND, aproveitando a procura crescente para centros de dados e dispositivos móveis.

Para a área móvel, pretende continuar este ano a inovar em hardware e software e priorizar a segurança dos consumidores (um objectivo relacionado com o incêndio de baterias do Note 7).

Acrescenta que, embora se espere um abrandamento de vendas no mercado global de smartphones, novos serviços como a inteligência artificial serão um factor diferenciador. Aponta como objectivo reforçar a liderança no segmento premium de smartphones e melhorar a competitividade nos segmentos de gama média e baixa, acrescentando-lhes funcionalidades existentes em equipamentos de gama mais alta.

Relativamente à electrónica de consumo, a Samsung pretende reforçar a sua posição no mercado de televisores premium e nas TV com ecrãs de grande dimensão.

Ainda sem comentários