CE e BEI criam fundo financiar infra-estruturas banda larga

Publicado em 16/12/2016 00:34 em Geral

A Comissão Europeia (CE) e o Banco Europeu de Investimentos (BEI) anunciaram a criação de um fundo de investimento em infra-estruturas de banda larga, aberto à participação de bancos e instituições nacionais e de investidores privados.

Está desde já prevista a participação no «Connecting Europe Broadband Fund» de três instituições financeiras como investidores âncora: o alemão KfW Bankengruppe, o italiano Cassa Depositi e Prestiti e a francesa Caisse de Depots et Consignations.

A Comissão Europeia investirá 100 milhões de euros no fundo e está previsto que o «Connecting Europe Broadband Fund» atinja um capital de pelo menos 500 milhões de euros.

O lançamento operacional do fundo está previsto para meados de 2017.

O «Connecting Europe Broadband Fund» está focado no reforço dos investimentos europeus para dinamizarem o crescimento e o emprego, indica a CE.

A Agenda Digital da Comissão Europeia tem como objectivo proporcionar a todas as famílias e empresas até 2020 ligações Internet a 30 megabits por segundo (Mbps) e pretende que até 2025 as escolas, plataformas de transportes, principais serviços públicos e empresas intensivas em tecnologia digital tenham acesso a ligações Internet a 1 gigabit por segundo (Gbps).

O Fórum Europeu FTTH (Fibra até Casa, na sigla inglesa), que visa promover a difusão de ligações sobre fibra óptica até casa ou até à rua dos clientes, já se congratulou com a decisão de criação do «Connecting Europe Broadband Fund», defendendo que é do interesse a longo prazo dos cidadãos europeus e das empresas fomentar as ligações Internet sobre redes de fibra óptica.

Considera que o Fundo é especialmente importante para apoiar projectos locais ou pequenos projectos de fibra óptica, que têm uma enorme importância para garantir que todas as comunidades têm acesso à Sociedade Gigabit.

Acrescenta que a adopção alargada de redes de fibra por empresas e utilizadores finais permitirá novas e inovadoras tecnologias e terá um impacto positivo no crescimento económico e criação de emprego, particularmente em zonas rurais.

Ronan Kelly, presidente do FTTH Council Europe, sustentou que o fundo é um passo importante para dinamizar investimentos em infra-estruturas de fibra óptica, a única solução de banda larga de futuro, que permitirá redes gigabit fixas e móveis.

Ainda sem comentários