Uma em cada quatro redes Wi-Fi públicas não são seguras

Publicado em 07/12/2016 00:42 em Internet

A empresa de segurança informática Kaspersky estima que uma em cada quatro redes Wi-Fi públicas não são seguras e a sua utilização coloca os dados pessoais dos utilizadores em risco.

A multinacional russa de segurança afirma que analisou 31 milhões de redes ou hotspots Wi-Fi em todo o mundo e concluiu que em 25% das redes tudo o que é transmitido através delas, incluindo mensagens pessoais, palavras-passe, documentos e outras informações pode ser facilmente interceptado por hackers.

Em comunicado, a Kaspersky assinala que a Tailândia, França, Israel e Estados Unidos estão entre os países com as mais altas taxas de hotspots Wi-Fi não encriptados e que, por isso, não são redes Wi-Fi seguras.

A Kaspersky sublinha que uma em cada quatro dos 31 milhões de redes Wi-Fi analisadas em todo o mundo não têm qualquer encriptação ou palavras passe de protecção e outros 3% utilizam o protocolo de encriptação WEP (Wired Equivalent Privacy), que é pouco seguro.

A empresa de segurança russa indica que as restantes utilizam a família de protocolos de encriptação Wi-fi Protected Access (WPA), mais confiáveis, mas alerta que o esforço para invadir estas redes depende das configurações, incluindo a resistência das palavras passe.

A Kaspersky aconselha os utilizadores a não utilizarem hotspots que não solicitam palavras passe, particularmente para realizarem actividades de risco como fazerem compras online ou acederem a contas bancárias

Ainda sem comentários