Muitas companhias recolhem demasiados dados pessoais

Publicado em 09/11/2016 23:14 em Web Summit

Helen Dixon, da Autoridade de Protecção de Dados da Irlanda, considerou hoje que as companhias recolhem demasiados dados pessoais dos seus utilizadores.

Falando na Web Summit, Helen Dixon sustentou que as empresas não devem recolher dados pessoais para além do estritamente necessário e que devem destruir os dados que possuem quando deixam de ser necessários.

Defendeu a necessidade de haver um equilíbrio entre os dados necessários para prestar um serviço e a privacidade dos utilizadores.

A responsável da autoridade de privacidade irlandesa destacou que a recolha de dados pessoais deve ser sempre aceite pelos utilizadores, mas destacou que o problema é que muitas vezes as companhias não explicam claramente os objectivos da recolha de dados, o uso que deles fazem e o período durante o qual os manterão e nem sempre é dada opção de escolha aos clientes.

Helen Dixon congratulou-se com a nova legislação da União Europeia sobre protecção dos dados pessoais, que tem regras mais estritas sobre privacidade e agrava as sanções por incumprimento, o que implica um reforço do regime de protecção da privacidade na UE.

Observou que a nova legislação abrange todas as companhias que prestam serviços na União Europeia e não apenas aquelas que têm sede na UE.

Cindy Cohn, advogada e representante da «Electronic Frontier Foundation», alertou para que há governos interessados em recolher o máximo de dados sobre os cidadãos, quer precisem ou não desses dados, observando que se verá como a nova legislação de protecção de dados pessoais na UE será aplicada nessas situações.

Aquela advogada considerou que privacidade e segurança seguem de mãos dados e defendeu que as companhias, além de não recolherem dados pessoais para além do justificável, devem garantir a segurança das informações pessoais que detêm, nomeadamente através da utilização de mecanismos de encriptação fortes.

Cindy Cohn preconizou que sejam reforçados os poderes dos reguladores a quem incumbe a protecção de dados pessoais.

Ainda sem comentários