WikiLeaks é um órgão de informação

Publicado em 09/11/2016 01:47 em Web Summit

O consultor legal de Julian Assange, o líder do WikiLeaks, sublinhou terça-feira que o WikiLeaks é um órgão de informação, que publica as notícias que lhe chegam depois de averiguar e confirmar a sua autenticidade, e Assange um jornalista.

Juan Branco, o consultor legal de Assange, em encontro terça-feira com a imprensa no Web Summit, onde foi orador, garantiu que o WikiLeaks não utiliza pirataria informática e só recebe informações de fontes identificadas, cuja autenticidade verifica e que publica quando considera que há interesse público.

Denunciou que estão a tentar impedir a saída de informações da WikiLeaks da embaixada do Equador em Londres, onde Assange está refugiado.

Juan Branco destacou que a situação de Julian Assange, que não pode sair da embaixada, é muito difícil, mas o dirigente da WikiLeaks continua a encontrar-se com pessoas dentro da embaixada.

Juan Branco salientou que o WikiLeaks respeita a legislação dos países onde está presente e que Julian Assange não praticou acções puníveis num país democrático.

Em relação a acusações de que o WikiLeaks estaria a interferir nas eleições presidenciais nos Estados Unidos, Juan Branco sublinhou que aquele órgão de comunicação social publica as informações de interesse publico quando consegue assegurar a sua veracidade, e a informação publicada que coincidiu com as eleições ainda não estava anteriormente verificada.

Juan Branco divulgou hoje na Web Summit, pouco depois da sua intervenção na conferência, um depoimento de Julian Assange em que este garante que apenas saiu informação que visava Hilary Clinton porque não chegou ao WikiLeaks informação sobre Trump ou qualquer dos outros candidatos àquelas eleições presidenciais.

Ainda sem comentários