PT realiza teste tecnologia móvel 4,5G na Web Summit

Publicado em 09/11/2016 00:40 em Web Summit

A PT e a Huawei testaram hoje a tecnologia 4,5G, atingindo uma velocidade de 1,7 gigabits por segundo (Gbps), durante a Web Summit, a decorrer em Lisboa até quinta feira.

Os responsáveis da PT garantiram que esta é a primeira demonstração em Portugal e uma das primeiras do mundo da rede móvel 4,5G e que foi utilizada pela primeira vez no mundo a tecnologia NGPON2, desenvolvida na Altice Labs Portugal, em Aveiro.

Alexandre Fonseca, administrador executivo da PT com o pelouro da tecnologia (CTO), destacou o legado da PT na inovação nas redes móveis e que agora é reforçado com este passo no sentido da tecnologia móvel de quinta geração (5G) e que revela o compromisso da Altice com Portugal através do investimento e desenvolvimento de novas soluções tecnológicas.

Adiantou que a velocidade atingida no teste é cerca de cinco vezes superior à velocidade máxima actual nas redes móveis e o dobro da capacidade da oferta standard de fibra.

O CTO da PT indicou que em 2018 o tráfego em 4G será superior ao de 3G e que em dois anos o tráfego em 4G se multiplicará por 6,5 vezes e o de 3G duplicará.

Alexandre Fonseca sublinhou que a PT tem vindo a investir na inovação e na qualidade de serviço e garantiu que as redes móveis da empresa (GSM, 3G e 4G) respondem às necessidades dos utilizadores mas que a empresa tem de se adaptar para responder às necessidades futuras.

Indicou que o primeiro passo é fornecer velocidades maiores (370 Mbps) com smartphones que hoje já existem.

Luís Alveirinho, director de engenharia da PT, recordou que a 30 de Março de 2010 apresentou a tecnologia móvel 4G com velocidades de 100 megabits por segundo (Mbps) e hoje, seis anos e meio volvidos, apresenta uma velocidade 17 vezes superior, com o 4,5G.

Destacou que ainda não há smartphones que suportem aquela capacidade.

Para Luís Alveirinho, a tecnologia 5G introduzirá um paradigma novo em que as redes passam a adaptar-se às necessidades dos utilizadores.

Paulo Pereira, director da Huawei Portugal, assinalou que a tecnologia 5G é o caminho mas implica uma nova arquitectura de rede e, para lá chegar, há o passo intermédio do 4,5 G.

Indicou que o software a correr na aplicação 4,5G é um software comercial.

Paulo Pereira disse que a multinacional chinesa Huawei, que produz soluções e equipamentos de redes de telecomunicações e equipamentos terminais, realiza um elevado investimento em investigação e desenvolvimento e em inovação.

Ainda sem comentários