Yahoo acusada de cumplicidade com NSA e FBI na intercepção de mensagens dos clientes

Publicado em 07/10/2016 01:03 em Destaques

A companhia Internet Yahoo, que detém um serviço de correio electrónico, está a ser acusada de cumplicidade com a agência NSA e o FBI para dar acesso a mensagens electrónicas dos utilizadores dos seus serviços, segundo textos publicados pela newsletter Telecoms.com e no blogue oficial da Sophos.

Scott Bicheno, assinala que a Yahoo está mais ferida do que nunca depois de a agência Reuters alegar que a companhia Internet estava conluiada com serviços de informações dos Estados Unidos para fazer o scan das mensagens electrónicas dos seus utilizadores por palavras passe.

Afirma que três antigos trabalhadores da Yahoo e um quarto que ainda faz parte da empresa terão indicado que a companhia desenvolveu uma peça de software que pesquisava todas as mensagens electrónicas entradas no seu correio para corresponder a solicitações do FBI e da NSA.

A Telecoms.com considera que isto constitui aparentemente um precedente de uma companhia privada se conluiar com uma vigilância em massa dos seus utilizadores.

Bicheno salienta que a única declaração da Yahoo é que obedece à lei, enquanto a Google, Microsoft, Apple, Facebook e Twitter todas declaram que se oporiam a solicitações desse tipo.

Scott Bicheno antecipa que, depois deste escândalo de espionagem dos seus próprios utilizadore,s o operador de telecomunicações Verizon poderá desistir da aquisição da Yahoo.

Alison Booth, no blogue oficial da empresa britânica de segurança informática Sophos, cita também a agência Reuters e destaca que as mensagens electrónicas não eram objecto de scan apenas para publicidade dirigida e admite que a Yahoo terá vigiado centenas de milhões de mensagens das suas contas de correio electrónico ao serviço da NSA e do FBI.

A Sophos indica que o número real de contas partilhadas terá sido relativamente modesto, da ordem das dezenas de milhares e afirma que nunca se saberá com segurança se a Yahoo partilhou realmente dados em resultado do pedido secreto das agências governamentais.

Booth recorda que em Setembro de 2016 a companhia reconheceu, com dois anos de atraso, que em 2014 dados de pelo menos 500 milhões de contas de correio electrónico da Yahoo tinham sido roubados num ataque informático.

Ainda sem comentários