Google apresentou hoje linha de hardware «Made by Google»

Google apresentou hoje linha de hardware «Made by Google»Publicado em 04/10/2016 23:53 em Destaques

A Google apresentou hoje o Made by Google, uma nova família de hardware, que inclui um novo telefone, o Cromecast Ultra, uma coluna de som activada por voz, o Google WiFI e o Daydream View.

Sunday Pichai, CEO da Google, defendeu que com o madeby.google o utilizador tem sempre a Google ao seu lado onde quer que esteja e independentemente do que faça.

Segundo Pichai, o Pixel é o primeiro telefone com assistente Google integrado. O Google Home é uma coluna activada por voz e equipada com assistente Google, em que basta dizer «Ok Google» para obter respostas e ajuda pela casa. Com a Chromecast Ultra e o Google WiFi a casa torna-se muito mais interligada. E o novo Daydream View, composto por «headset» e controlador, permite ao utilizador explorar novos mundos através da realidade virtual, apenas utilizando o telefone, conclui o CEO da Google.

Sundar Pichai sublinha que à medida que se expande a gama de dispositivos disponíveis assistimos a «avanços sem precedentes no software», fruto do resultado de investigação em tecnologias como a pesquisa, a aprendizagem automática e a inteligência artificial.

Observa que o assistente Google vai permitir ao utilizador realizar todas as suas tarefas, dando-lhe a informação onde quer que esteja.

Ian Fogg, director da IHS Markit, sublinha que, com o smartphone Pixel a Google está finalmente a aproveitar a propriedade do sistema operativo Android para oferecer modelos de smartphones com inovações únicas ainda não acessíveis aos seus parceiros.

Fogg destaca que smartphones Pixel representam o culminar dos movimentos do Google para ganhar a propriedade plena do Android e recorda que a companhia se tem movido ao longo do tempo no sentido de incluir mais aplicações e software numa licença proprietária daquele sistema operativo.

O director da IHS sublinha que ao entrar em marcas de smartphones por si detidas, a Google antagoniza sem dúvida os construtores de hardware que utilizam o Android, mas aqueles têm poucas alternativas porque o êxito do Android deixou pouca margem de manobra para se estabelecerem sistemas operativos concorrentes.

Ian Fogg defende que a Google demonstrou verdadeira coragem ao oferecer os seus primeiros smartphones de marca própria a preços equiparados aos dos iPhones, com o Pixel de 32 gigabytes (Gb) a custar 649 dólares e o Pixel XL 749 dólares, preços que vão afectar a adopção dos novos smartphones do gigante da Internet.

O director da IHS sublinha que a Google está a adoptar uma estratégia de integração de hardware e software mais próxima da estratégia da Apple e admite que os seus parceiros venham a procurar alternativas ao Android (a Samsung mantém sistemas operativos próprios, ainda que a grande aposta tenha sido até aqui no Android).

A IHS Markit considera que a Google deverá ser mais competitiva nos preços dos Pixel se quiser estabelecer a plataforma Daydream VR enquanto não há nenhum líder claro no mercado das plataformas de realidade virtual (VR, na sigla inglesa).

Os novos Pixel e Pixel XL vêm com um processador Snapdragon 821, 4 Gb de memória RAM, Google Assistant, compatibilidade com o Daydream VR, câmara de 12 megapíxeis e 32Gb de memória interna com ecrã de 5 polegadas para o modelo de menor preço e 128 Gb e ecrã de 5,5 polegadas para o XL.

A IHS Markit indica que o DayDream VR custará 79 dólares e estará disponível em Novembro e o Google WiFi 129 dólares, o mesmo preço que o Google Home.

Ainda sem comentários