Cabovisão lança serviço Nowo com características novas

Publicado em 13/09/2016 20:07 em Destaques

O operador de telecomunicações Cabovisão apresentou hoje o serviço Nowo, que se distingue da oferta do mercado por incluir pacotes sem telefone fixo, por o preço incluir sempre o aluguer de equipamentos e por ter um máximo de fidelização de 12 meses.

Em encontro com a imprensa, Miguel Veiga Martins sublinhou que os clientes de telecomunicações acham que 24 meses de fidelização são excessivos e «uma prisão», a maioria não queria um telefone fixo (que os operadores obrigam a incluir no pacote) e nem o usa e inclui muitos canais que não interessam aos clientes.

Para Veiga Martins, as telecomunicações são um mercado onde ninguém pode escolher o que quer e todos pagam por serviços que não desejam e ficam presos por contratos de fidelização intermináveis.

Salientou que o serviço Nowo vai «trazer mais justiça ao mercado» porque permite que os clientes escolham o que querem e não pacotes pré-definidos e pratica preços agressivos sem esquecer que o negócio tem de ser para ganhar dinheiro, com um modelo inspirado em companhias de aviação «low cost».

Destacou que o Nowo não tem contratos de permanência de 24 meses, o que «é uma disrupção no mercado».

José Henriques, administrador com área de marketing (CMO), observou que o Nowo vai provocar o mercado e levar os consumidores a pensar sobre se têm o que querem, dá liberdade de escolha ao cliente e ninguém precisa de ficar preso a serviços que não quer, oferece preços justos de forma sustentável.

O CMO da companhia revelou que a escolha começa pelo serviço Internet, com um pacote base de 100 Megabits por segundo (Mbps) que custa 19.99 euros mensais, sem mais custos, e inclui a oferta de 33 canais de televisão. Neste caso, com uma fidelização de 12 meses não há qualquer custo de instalação, com seis meses de permanência custa 30 euros e sem fidelização o cliente paga 50 euros

A partir do preço base, se o cliente quiser Internet a 200 Mbps paga mais 8 euros, se quiser cartão para telemóvel paga mais 7 euros por cartão com 2 Gigabytes (Gb) de dados e 2 mil minutos de chamadas e SMS para todas as redes ou 9 euros pelo dobro dos dados e de chamadas, se quiser telefone fixo com 9 mil minutos para as redes fixas nacionais acrescem 2 euros mensais, se quiser também mil minutos para redes fixas de 50 países paga mais 3 euros mensais.

Mais 90 canais digitais com videoclube, gravação, pausa, guia de programação e box com gravação custam mais 5 euros mensais ou, em alternativa, por mais 8 euros mensais fica com 140 canais digitais, restart TV, TV no smartphone e tablet, gravação de dois canais em simultâneo, videoclube, pausa, guia de programação e OneBox.

No entanto, o contrato sem fidelização com mais de 33 canais já custa 150 euros e o contrato com permanência de seis meses custa 90 euros, mantendo-se a oferta da instalação para a permanência de 12 meses.

A escolha de canais premium é paga para além do anteriormente mencionado.

Os responsáveis da companhia afirmaram que a escolha do serviço é feita online, no simulador do sítio Internet www.nowo.pt, ou nas lojas e não há contratos com letras pequeninas nem pagamento adicional por equipamentos disponibilizados.

Miguel Veiga Martins indicou que a Cabovisão tem mais de 900 mil casas passadas e cerca de 220 mil clientes, o equivalente a 5% do total do mercado, e pretende atingir uma quota de 10% do mercado em dois anos.

Revelou que a empresa vai manter o seu carácter regional e continuar a focar-se nas regiões onde já está presente podendo investir cerca de 30 milhões de euros nos próximos dois/três anos para alargar a rede para áreas adjacentes onde haja clientes interessados, particularmente em zonas próximas de capitais de distrito.

O CEO da empresa disse que os actuais clientes não passam automaticamente para a Nowo, argumentando que não se pode fazer uma transição que o cliente poderia não desejar, e indicou que os clientes Cabovisão devem contactar a companhia se quiserem aderir à Nowo.

«Tenho a certeza de que os clientes vão falar connosco quando virem esta proposta», garantiu.

Ainda sem comentários