AEG Telecomunicações tem estratégia de nicho nos telemóveis

Publicado em 09/11/2010 22:41 em Geral

A AEG portuguesa, que se passou a chamar AEG Telecomunicações, decidiu voltar à comercialização de telemóveis marca AEG mas com uma estratégia de nichos, apostando nos terminais dual SIM (que suportam dois cartões diferentes) e no segmento sénior, indicou o presidente da empresa, António Damião.

Em conferência de imprensa, a AEG telecomunicações apresentou novos telemóveis e telefones fixos no âmbito da aposta estratégica que definiu e anunciou um reforço do seu investimento em publicidade para o ano 2011.

António Damião recordou que nos anos oitenta, ainda na altura do móvel analógico, a AEG alemã tinha investigação e desenvolvimento (I&D) próprios na Alemanha e uma fábrica em Berlim e a AEG Portugal era uma filial da firma alemã, que só podia actuar em Portugal.

Nos anos noventa, além do fabrico de electrodomésticos, a AEG fabricava telemóveis GSM e foi uma das marcas de sucesso com o pré-pago Mimo da TMN, mas no fim dos anos noventa houve uma grande reestruturação, em que a linha branca foi vendida à Electrolux e a AEG deixou de produzir telemóveis.

No contexto dessa reeestruturação, a AEG portuguesa passou a ter maioria de capital nacional mas estava limitada ao território do país e foi representante de algumas marcas de telemóveis que entretanto deixaram de ser fabricadas.

António Damião assinalou que em 2008 a AEG voltou à produção (em outsourcing) de telemóveis da marca AEG e em Abril de 2009 chegou a acordo com a Electrolux, que entretanto adquiriu os direitos da marca AEG, para poder actuar fora de Portugal.

O presidente da AEG Telecomunicações salientou que a empresa se internacionalizou, começando por vender na Guatemala com a operadora espanhola Telefonica e na África do Sul em parceria com um distribuidor.

Adiantou que actualmente a AEG tem negócios em vários países da América Latina, incluindo no México e Argentina, e em vários africanos, nomeadamente Angola, Moçambique, Argélia, Marrocos e Tunísia.

António Damião assinalou que o Brasil é o maior mercado da América Latina mas a AEG Telecomunicações considera que ainda «não está ao seu alcance».

Quanto ao mercado europeu, que está «bastante saturado e é muito exigente», António Damião afirmou que será abordado em conjunto com a AEG francesa.

António Ari Damião, administrador da empresa, indicou que o volume de negócios da empresa deverá atingir 18 milhões de euros em 2010, um crescimento de 25%, e que os lucros nos três primeiros trimestres foram de 200 mil euros.

A AEG apresentou hoje o primeiro telemóvel da AEG com ecrã sensível ao toque, o T530, um dual SIM com acesso à Internet e a redes sociais, câmara de 3,2 megapíxeis, gravador de vídeo, leitor de MP3 e rádio FM, ao preço de 109,90 euros (desbloqueado).

A empresa apresentou também o X760, um terminal dual SIM para uso profissional, com teclado Qwerty, ligação à Internet, e-mail e redes sociais, ligações Wi-Fi e Bluetooth, câmara de 3,1 megapíxeis com vídeo, leitor de MP3 e rádio e som surround, por 149,90 euros.

A AEG anunciou o X150 de gama de entrada, salientando que é o único dual SIM do mercado por um preço inferior a 65 euros.

A AEG anunciou também novos modelos de telefones de rede fixa, incluindo um para o segmento sénior, com teclas e caracteres de maior dimensão e som amplificado, e outro para o segmento de pequenas empresas.

Ainda sem comentários