Facturação da Sonaecom cresce, lucros em forte baixa

Publicado em 30/07/2016 01:16 em Geral

A Sonaecom, sub-holding do grupo Sonae para as telecomunicações, tecnologias e media, anunciou hoje que o seu volume de negócios cresceu 0,7% no primeiro semestre, para 67,6 milhões de euros.

Em comunicado de resultados, a Sonaecom indica que os lucros atribuíveis ao grupo caíram 89,6%, para 3,5 milhões de euros.

A Sonaecom recorda os resultados da NOS, controlada pela sua participada ZOPT, com subida na facturação e nos lucros.

Em relação à área das tecnologias, a Sonaecom indica que as cinco empresas que compõem esta área geraram mais de metade (50,7%) das suas receitas fora de Portugal e destaca que 43% dos seus 958 trabalhadores estão no estrangeiro.

A área de tecnologias teve um volume de negócios de 60,6 milhões de euros no primeiro semestre, um acréscimo homólogo de 1,9%, com as receitas de serviços a representarem 42,0 milhões de euros (menos 3,2%) e as vendas de equipamentos a atingirem 18,6 milhões de euros (mais 15,6%).

A WeDoTechnologies, líder mundial em software de garantia de receitas e gestão de fraudes, tem como clientes mais de 190 operadores de telecomunicações de nove dezenas de países e gera mais de três quartos (77%) da sua facturação no estrangeiro.

A Sonaecom inclui também a S21Sec, que desenvolve soluções de segurança informática para empresas e tem equipas em Espanha (de onde é originária), Portugal, México e Reino Unido, a Saphety, uma empresa que disponibiliza soluções para optimização de processos de negócio, nomeadamente na facturação electrónica e EDI (troca electrónica de dados), e tem mais 8500 clientes em 26 países, a BizDirect, um integrador de soluções empresariais, nomeadamente sobre tecnologia Microsoft, e a Bright Pixel, que incuba projectos e apoia startups no desenvolvimento de produtos e na chegada ao mercado.

Na área dos Media, a Sonae com assinala a melhoria dos indicadores do jornal Público, com uma evolução menos negativa do volume de negócios no segundo trimestre e com um EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) marginalmente positivo pela primeira vez em mais de um ano.

Ainda sem comentários